A DESCONFIANÇA DO OLHAR

A DESCONFIANÇA DO OLHAR

Mark Tansey. The innocent eye test, 1981

Professor: Daniel Lannes Pereira

1ª semestre 2019
12 de março a 25 de junho
Terça-feira, 19:45–22:00
R$ 380,00/mês

Objetivos
O curso tem por objetivo oferecer aos alunos um aprofundamento acerca dos conhecimentos práticos e teóricos inerentes ao exercício da pintura contemporânea. Ao longo dos encontros, os alunos apresentarão seus trabalhos junto à turma de modo que o processo de cada um possa ser acompanhado e problematizado.

Conteúdo
A análise dos trabalhos partirá da discussão de pontos relacionados aos desdobramentos atuais da produção pictórica, salientando também os procedimentos técnicos tradicionais de pintura: composição; pensamento linear x pensamento pictórico; imprimaduras, preparação de fundos (quentes/ frios), grizailles, underpaintings, paletas reduzidas e mistura de cores. A ideia é que o aluno – uma vez, familiarizado com essas noções – consiga aplicá-las da forma que lhe convier, munido de um repertório de procedimentos tradicionais somados a outros mais recentes na construção de uma pintura contemporânea..
Por final, a ideia básica do curso é oferecer aos pintores ferramentas práticas e respaldo teórico que os possibilitem enveredar tanto pelo caminho figurativo, quanto pelo não representacional, uma vez que o entendimento de ambos se faz necessário para a formulação de uma linguagem plástica individual.

Dinâmica
A análise dos trabalhos será realizada tendo-se em mente o universo particular de cada aluno e suas respectivas necessidades cabíveis. O público para o qual o curso é pensado refere-se a pintores que já possuem alguma experiência no fazer artístico, mas que buscam aprofundar seus conhecimentos técnicos e conceituais.
Mais importante do que saber desenhar ou pintar, talvez seja a capacidade saber olhar. Saber identificar o que falta ou o que se excede numa imagem é o ponto chave para a maturidade artística. Desconfiar da imagem e não sucumbir perante o encantamento da fatura ou de seu significado é algo de extrema importância no processo da pintura.

Daniel Lannes, vive e trabalha no Rio de Janeiro.
Mestre em Linguagens Visuais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2012) e Bacharel em Comunicação Social pela PUC-Rio (2006). Dentre suas exposições individuais destacam-se: “A Luz Do Fogo” (2017), na Magic Beans Gallery, Berlim, Alemanha; “Dentição” (2018), “Costumes” (2014) e “Dilúvio” (2012), na Galeria Luciana Caravello Arte Contemporânea; “República” (2011), no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro; Dentre as exposições coletivas destacam-se: “HÖHENRAUSCH”, Eigen + Art gallery, Berlin, Alemanha e “Ao Amor do Público I” – Doações da ArtRio (2012-2015), ambas em 2016; “Tarsila e Mulheres Modernas”, no Museu de Arte do Rio (MAR) e “Renaissance”, na Maison Folie Wazemmes, na França, ambas em 2015; Foi um dos vencedores da 6ª edição do Prêmio Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas (2017-2018). Realizou residência artística no Kunstresidenz Bad Gastein, Bad Gastein, Áustria, em 2015. Foi selecionado em 2015 para representar a cidade do Rio de Janeiro no Festival de Arte Lille3000, em Lille, França, foi indicado à 10a edição do Programa de prêmios e Comissões da Cisneros-Fontanals Art Foundation (CIFO), 2013. Possui obras em importantes coleções públicas como Museu de Arte do Rio de Janeiro (MAR); Museu de Arte Moderna (MAM RJ); Instituto Figueiredo Ferraz, Ribeirão Preto, entre outras.