Eventos

COLEÇÃO AMIGO EAV NA ARTRIO 2019

Iole de Freitas,O outro, 1973/2019.Impressão fotográfica,140 x 53 cm [detalhe].
 
EAV Parque Lage na ArtRio 2019 apresenta:
COLEÇÃO AMIGO EAV 2019.2
Brígida Baltar
Cristiano Lenhardt
Iole de Freitas
Lucia Laguna

Curadoria: Bernardo Mosqueira e Ulisses Carrilho


A EAV Parque Lage participará da ArtRio 2019 com a Coleção AMIGO EAV 2019.2, com curadoria de Bernardo Mosqueira, com conjunto de múltiplos dos artistas: Brígida Baltar, Cristiano Lenhardt, Iole de Freitas e Lucia Laguna. No nosso stand, haverá também obras dos artistas: Carlos Vergara, Dalton Paula, Ernesto Neto, Jaime Lauriano, Laura Lima, Lenora de Barros e Rafael Alonso. A feira acontece de 19 a 22 de setembro (dia 18 será o preview para convidados), na Marina da Glória, no Rio de Janeiro.

A verba arrecadada com as vendas das obras será revertida integralmente para o programa público de ensino da Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Financiando, assim, ciclos de debates, programa de bolsas, eventos na biblioteca, Jornadas de Outubro, entre outros programas da EAV Parque Lage. Todas as obras foram gentilmente cedidas pelos artistas em benefício da EAV.

Todos que adquirem a Coleção se tornam sócios do programa AMIGO EAV, na categoria Benfeitor Premium. Saiba mais.

A feira acontece de 19 a 22 de setembro (dia 18 será o preview para convidados), na Marina da Glória, no Rio de Janeiro.
A Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV) ocupará o stand l1 da esplanada, na Marina da Glória.

Brígida Baltar

Brígida Baltar,Raíz, 2019.Pó de tijolo e cola resinada,24 x 19 x 1,7 cm.

Cristiano Lenhardt

Cristiano Lenhardt, Bastão, 2019. Madeira, 50 cm (h).

Iole de Freitas

Cristiano, Lenhardt,Bastão, 2019.Madeira.

Iole de Freitas

Iole de Freitas,O outro, 1973/2019.Impressão fotográfica,140 x 53 cm.

Lucia Laguna

Lucia Laguna,Colagem nº 22 (jardim), 2019. Díptico,59,4 x 42 cm.

Lucia Laguna

Lucia Laguna,Colagem nº 23 (paisagem), 2019. Díptico,59,4 x 42 cm.

Sobre os artistas

Brígida Baltar (Rio de Janeiro, Brasil, 1959) – Vive e trabalha na cidade do Rio de Janeiro, Brasil.
Estudou na Escola de Artes Visuais do Parque Lage nos anos 1980 e fez parte do grupo Visorama. Brígida registrou suas ações em fotografia e filme, como no projeto Coletas (1996-2005), em que colecionou em frascos de vidro elementos naturais e transitórios, como neblina. Outra ação Abrigo, a artista desenha a forma do seu corpo e a escava na parede de sua casa-ateliê. Com o pó de tijolo da casa, realiza uma série de desenhos, e instalações. Trabalha com esculturas em tijolo, cerâmica e bronze. E faz bordados sobre tecidos. Toda sua obra aborda o assunto corpo e fantasia.

Algumas exposições: 25ª Bienal de São Paulo (2002); The Nature of Things — Biennial of the Americas, em Denver, EUA (2010); Panorama de Arte Brasileira (2007); 5ª Bienal de Havana, Cuba (1994). Participou das exposições internacionais: Cruzamentos – Contemporary art in Brazil (Wexner Center for the Arts, EUA, 2014); SAM Art Project (França, 2012); The peripatetic school: itinerant drawing from Latin America (Middlesbrough Institute of Modern Art, Inglaterra, 2011); e Constructing views: experimental film and video from Brazil (New Museum, EUA, 2010). Algumas coleções: Colección Isabel y Agustín Coppel, México; Museum of Contemporary Art, Cleveland, EUA; Fundação Joaquim Nabuco, Recife, Brasil; Middlesbrough Institute of Modern Art, Middlesbrough, Inglaterra; Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, Brasil; Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Brasil; Pinacoteca do Estado de São Paulo, Brasil.

Cristiano Lenhardt (Itaara, RS, 1975) – Vive e trabalha em São Lourenço da Mata, PE, Brasil.
Estudou Artes Plásticas na UFSM com Suzana Gruber nos anos 90. Fez escola de Arte Torreão no início dos anos 2000. Em 2005, morou um ano no Rio de Janeiro onde conheceu a Yoga. Em 2006 se muda para Pernambuco.Viveu sendo Grupo Laranjas, A Casa Como Convém e hoje aluga um apartamento no centro do recife que divide com mais 3 artistas de naturezas diferentes porém todas amorosas, criativas e atentas.

Participou de muitas importantes exposições de arte institucionais e independentes no brasil entre 2005 e 2019. Fez residência artística em Buenos Aires, Guangzhou, Londres, São Paulo, Rio e Acre.Em abril de 2019 inicia formação em agroecologia no Serta Glória do Goitá.

Iole de Freitas (Belo Horizonte, Minas Gerais, 1945) – Vive e trabalha na cidade do Rio de Janeiro, Brasil.
Escultora, gravadora e artista multimídia. Com seis anos, muda-se para o Rio de Janeiro, e inicia sua formação em dança contemporânea. Estuda na Escola Superior de Desenho Industrial (ESDI) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), de 1964 a 1965. A partir de 1970, vive por oito anos em Milão, Itália, onde trabalha como designer no Corporate Image Studio da Olivetti, sob a orientação do arquiteto Hans von Klier, de 1970 a 1971. Passa a desenvolver e expor seu trabalho em artes plásticas a partir de 1973.

Entre 1973 e 1981, desenvolve trabalhos experimentais em fotografia e Super-8, nos quais a representação do corpo surge como tema principal. No início dos anos 1980, passa a dedicar-se ao campo tridimensional, realizando os Aramões, estruturas cerradas de fios, tubos, serras e tecidos. Em 1986, recebe Bolsa Fulbright-Capes para pesquisa no Museum of Modern Art (MoMa), em Nova York. De 1987 a 1989, é diretora do Instituto Nacional de Artes Plásticas da Funarte, no Rio de Janeiro. Em 1991, recebe a Bolsa Vitae de Artes Plásticas. É professora de escultura na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV Parque Lage). Na década de 1990, começa a realizar esculturas de grandes dimensões. Alguns trabalhos são projetados para locais específicos, como a Capela do Morumbi, em São Paulo, e o Galpão Embra, em Belo Horizonte. Essas obras revelam o diálogo com o espaço expositivo e seus elementos arquitetônicos. As esculturas desenvolvidas entre 1995 e 1997 são mais fluidas, realizadas com materiais.

Lucia Laguna (Campos dos Goytacazes, Rio de Janeiro, 1941) – Vive e trabalha na cidade do Rio de Janeiro, Brasil.
Artista plástica e professora de Língua Portuguesa. Forma-se em Letras em São João Del Rei, Minas Gerais, em 1971, e trabalha como professora de português e literatura até 1993. Ao se aposentar, em 1994, inicia cursos teóricos e práticos de artes plásticas na Escola de Artes Visuais do Parque Laje, no Rio de Janeiro. Entre seus professores, está o pintor Charles Watson (1951), que realiza viagens a museus de várias partes do mundo com os alunos no projeto Dynamic Encounters. Neste projeto, Laguna conhece artistas plásticos que se tornam referência para seu trabalho, como o pintor italiano Giorgio Morandi (1890-1964). Realiza a primeira exposição individual na Galeria Centro Cultural Cândido Mendes, Rio de Janeiro, em 1998 e passa a exibir seus quadros em exposições coletivas. Chama a atenção de críticos de arte como Paulo Herkenhoff (1949) e da marchande Laura Marsiaj, que exibe os quadros de Laguna em sua galeria a partir de 2004. No ano de 2006, recebe o prêmio CNI Sesi Marcantonio Vilaça. Participa de diversas exposições coletivas, como o 32o Panorama da Arte Brasileira (2011) no Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP). Em 2012, sua obra é exibida na 30ª Bienal de São Paulo.

Sobre o curador

Bernardo Mosqueira

Bernardo Mosqueira (Rio de Janeiro, 1988) é curador, escritor e pesquisador. É um dos fundadores e gestores do Solar dos Abacaxis, espaço independente para arte, educação e liberdade no Rio de Janeiro; Idealizador e diretor do Prêmio FOCO Bradesco ArtRio (2013-); Vencedor da 9a edição do Premio Lorenzo Bonaldi, em Bergamo, na Itália (2017/18); Membro da Comissão Curatorial da Galeria de Arte IBEU (2011-2015); Realizou de forma independente o festival de performance e propostas experimentais Vênus Terra (2010-2014); Foi um dos premiados no 1º Laboratório Curatorial da SP-Arte com a exposição “Trepa-Trepa no Campo Expandido”, 2012; É autor de diversos ensaios em revistas brasileiras e estrangeiras, de diferentes catálogos e do livro de ficção “Carta Aberta por Zé Bento e Entendida por Zé Jorge” (2013); Lecionou na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (2011, 2015); Foi responsável por dezenas de curadorias, entre elas: Liberdade é pouco. O que desejo ainda não tem nome (RJ, 2010); Quase Casais (EIC Maus Hábitos, Porto, Portugal, 2010); E os Amigos Sinceros Também (Galeria de Arte Ibeu, RJ, 2012); Conexiones (Buenos Aires, Argentina, 2013); Tronco (Casa França-Brasil, RJ, 2013); primeiro estudo: sobre amor (Galeria Luciana Caravello, RJ, 2014); Anna Bella Geiger, CIRCA MMXIV: Imaginação é um ato de Liberdade (Mendes Wood DM, SP, 2014); Quando cai o céu (Centro Cultural São Paulo, SP, 2014); Encruzilhada (Parque Lage, RJ, 2015); objects in mirror are closer than they appear – Lexus Hybrid Art 2015 (Rossyia Theater, Moscou, Rússia); ASSIM (Museu do Homem do Nordeste, Recife, 2016); o que vem com a aurora (Casa Triângulo, SP, 2016); Primavera nos Dentes (Galeria Lume, SP, 2016); primeiro estudo: sobre a terra (A Gentil Carioca, RJ, 2017); Enchanted Bodies/Fetish for Freedom (GAMeC, Bergamo, Itália, 2018).


Horários

Quarta-feira, 18 de setembro | Preview
Quinta-feira, 19 de setembro | 13h -21h
Sexta-feira, 20 de setembro | 13h -21h
Sábado, 21 de setembro | 13h -21h
Domingo, 22 de setembro | 13h -20h

Local

Marina da Glória
Av. Infante Dom Henrique, s/n – Glória
Pavilhão e Esplanada
Estacionamento no local | Ponto de táxi no local | Ponto especial do UBER no local
Metrô – Estação Glória / Passarela em frente à Rua do Russel

artrio.art.br
 


APOIE A ESCOLA DE ARTES VISUAIS DO PARQUE LAGE:

AMIGO EAV