Conversas

Lançamento dos livros - Cotidiano e Caderno de Viagem

Dia 23 de maio de 2015, sábado, às 16h
Lançamento com debate entre a autora Wilma Martins, Tânia Rivera e Flavia Corpas. Mediação de Frederico Morais.

Salão Nobre da EAV Parque Lage

 

O evento marca o lançamento dos livros da artista Wilma Martins – Caderno de Desenho e Caderno de Viagem – vencedores do Prêmio Funarte Mulheres nas Artes Visuais – 2ª edição. Esse projeto faz um balanço das seis décadas da obra de Wilma Martins, ressaltando a importância do desenho dentro da sua produção plástica, e a relação desta com outras técnicas também usadas pela artista ao longo do tempo, como a pintura, aquarela e a xilogravura. Como resumiu a crítica de arte Lélia Coelho Frota, comissária do Brasil para a Bienal de Veneza da qual Wilma Martins participou, “A paisagem interna e a externa se fundem, em Wilma, no interstício do papel, onde a mão precisa e lírica deixa as impressões de viagem vertical à roda do seu profundo e dramático cotidiano”.

Os convidados Tânia Rivera, Flavia Corpas e Frederico Morais farão uma imersão na obra de Wilma ao promover o debate acerca da arte contemporânea a partir do trabalho da artista.

Sobre os participantes

Frederico Morais Nascido em Belo Horizonte, em 1936, Frederico exerce a crítica de arte desde 1956. Em 1966 ele se mudou para o Rio de Janeiro onde escreveu para coluna de artes plásticas do Diário de Notícias (1966-1973) e O Globo (1975 – 1987). Ele também esteve diretamente envolvido com os principais eventos de vanguarda do país, da “Nova Objetividade” ao “Salão da Bússola”, e chegou a organizar ele mesmo algumas das mais importantes ações coletivas da arte brasileira, como “Arte no Aterro”, os “Domingos da Criação” e “Do Corpo à Terra”. Além disso, Frederico colaborou com artigos e ensaios para jornais e revistas especializadas do Brasil, América Latina, Estados Unidos, Europa e Austrália. Entre 1962 e 2008 publicou 39 livros sobre arte brasileira e latino-americana no Brasil, Colômbia, México e Cuba, destacando-se, entre outros títulos: “Artes plásticas: a crise da hora atual” (1975), “Artes plásticas na América Latina: do transe ao transitório” (1979), “Chorei em Bruges” (1983), “O Brasil na visão dos artistas – A natureza e as artes plásticas” (2001) e “Marilia Kranz” (2008). É co-autor de outros 29 livros e autor de 35 catálogos-livros. Realizou a curadoria de 67 exposições e eventos de arte no Brasil e no exterior.

Tania Rivera é ensaísta, psicanalista e professora do Departamento de Arte e da Pós-Graduação em Estudos Contemporâneos das Artes da Universidade Federal Fluminense (UFF). Doutora em Psicologia pela Université Catholique de Louvain, Bélgica, realizou Pós-Doutorado em Linguagens Visuais na Escola de Belas-Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro. É pesquisadora bolsista do CNPqe autora dos livros Arte e Psicanálise (2002), Guimarães Rosa e a Psicanálise (2005) e Cinema, Imagem e Psicanálise (2008, todos por Jorge Zahar Editor), além de Hélio Oiticica e a Arquitetura do Sujeito (2012, Editora da UFF). Seu livro mais recente, O Avesso do Imaginário. Arte Contemporânea e Psicanálise (2013, CosacNaify), recebeu o prêmio Jabuti na categoria psicologia/psicanálise. Dirigiu, entre outros, o vídeo Ensaio sobre o Sujeito na Arte Contemporânea Brasileira (2012).

Flavia Corpas é curadora de artes visuais, pesquisadora e psicanalista. Atualmente é docente do Curso de Especialização em Acessibilidade Cultural da UFRJ, na disciplina Exposição Acessível. É doutora em Psicologia Clínica, linha de pesquisa Psicanálise: clínica e cultura, pela PUC/RJ. Dentre seus trabalhos como curadora se destacam as exposições “Sansão”, do artista Daniel Senise, curadoria realizada em parceria com o Alberto Saraiva, curador do Oi Futuro, que será montada em setembro de 2015 no Oi Futuro Flamengo; “Walter Firmo: um olhar sobre Bispo do Rosário”, do fotógrafo Walter Firmo (Caixa Cultural RJ/2013; Livre Galeria/2014), MACLI – Mostra de Arte Contemporânea em Literatura Infantil (Livre Galeria/2012; Caixa Cultural DF/2013; Caixa Cultural SP/2013-2014; SESC Paraty/2014); Todo artista é um impostor, de Lula Wanderley (Livre Galeria/2011); SESC Arte 24 horas, em parceria com a curadora Isabel Portella, (Cais do Porto-RJ/2010); À Mulheres: seus desejos (Casa Alejandro de Humbolt, La Havana/Cuba) e o projeto Cartografias da Criação (RJ e RS/2008). Trabalhou entre 2005 e 2008 no Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea. Fundou em 2011, no Rio de Janeiro, a Livre Galeria, espaço dedicado às artes visuais e às suas articulações com os campos da psicanálise, filosofia, literatura, cinema e ilustração. Neste espaço tem se dedicado a curadoria de diferentes exposições, buscando apresentar novos artistas (como Katia Wille, Lauro Roberto, João Bratkaskas e Raimundo Camilo) e artistas ainda não conhecidos no cenário das artes no Brasil (como o russo Dmitry Sokolenco, a israelense Ofra Amit, o belga Willian Gisgand e o norte-americano John Parra). É organizadora dos livros “Arthur Bispo do Rosário: arte além da loucura”, do crítico de artes Frederico Morais, e “Walter Firmo: um olhar sobre Bispo do Rosário”, do fotógrafo Walter Firmo, ambos lançados em 2013.