Conversas

Lançamento de livroPráticas Contemporâneas do Mover-se, de Michelle Sommer (org.)

Dia 24 de novembro de 2015, terça-feira, das 17h às 19h

Pátio da piscina

“Práticas Contemporâneas do Mover-se”, da editora Circuito, com organização de Michelle Sommer, é fruto de pesquisa curatorial que toma o movimento como impulso para proposições artísticas recentes na arte brasileira. Resultante da premiação pública Rumos Itaú Cultural 2013-2014, a curadora lança a pergunta a 10 duplas formadas por artistas e pesquisadores/curadores/críticos de arte: de que maneira o Mover-se afeta a produção artística, a crítica e a vida das formas na arte contemporânea? Os integrantes da publicação são: Cadu & Francisco Dalcol;  Túlio Pinto & Caroline Menezes; Rodrigo Braga / Bruna Fetter; Distruktur (Gustavo Jahn e Melissa Dullius) & Max Jorge Hinderer Cruz; Karim Aïnouz & Sérgio Martins; Vivian Caccuri & Júlio Martins; Denis Rodriguez / Leonardo Remor & Rosana Pinheiro-Machado; Paulo Nazareth & Cristina Ribas; Letícia Ramos & Ivair Reinaldim; Areal (André Severo e Maria Helena Bernardes) & Cristiana Tejo.

Os encontros online foram realizados em geografias distintas e em trânsito (incluso no espaço aéreo) e, no Brasil, concentraram-se basicamente a partir de Belo Horizonte, Porto Alegre, Rio de Janeiro, São Paulo e; no exterior, África, Alemanha, Estados Unidos, Inglaterra e Portugal. O mover-se – também no formato de encontro das duplas – o expressam o fenômeno globetrotter na arte. A organizadora inspira-se  na Teoria do Mover-se, de Honoré de Balzac, publicada em 1833, que previa, a partir da observação, realizar um estudo do corpo em movimento justapondo a graça do mover-se (ou a falta dela) aos tipos que deambulavam na sociedade parisiense. A publicação utiliza a fonte gráfica Interstate – baseada nos alfabetos de sinalização de estradas – e é um convite ao movimento.

 

Michelle Sommer é doutoranda em História, Teoria e Crítica 
de Arte no PPGAV/UFRGS com estágio doutoral junto à University of Arts London/Central Saint Martins. É mestre em Planejamento Urbano e Regional pelo PROPUR/UFRGS na área de Cidade, Cultura e Política e arquiteta pela PUCRS. Em 2015 foi co-curadora da 11ª edição do projeto Abre-Alas, na galeria A Gentil Carioca, Rio de Janeiro, RJ. Em 2014 integrou o workshop “Ferramentas para Organização Cultural” da 31ª Bienal de São Paulo, foi co-curadora da exposições “to see what is coming”, no Largo das Artes, RJ; curadora da exposição “Mimetismo”, na Casa de Rui Barbosa, RJ, paralela ao Colóquio Internacional “Os mil nomes 
de Gaia – do Antropoceno à Idade da Terra”. Em 2013 foi co-coordenadora de museografia da 9ª Bienal do Mercosul. Atualmente é integrante do corpo docente da Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Dedica-se ao ensino, pesquisa e curadoria de artes visuais.