Conversas

Georges Didi-HubermanA Imagem-Ambiente (L´IMAGE -MILIEU)

Dia 27 de novembro de 2015, sexta-feira, às 16h30

Cavalariças

O Museu de Arte do Rio (MAR) por meio de seu Programa MAR na Academia, o Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da UFRJ, em parceria com a Escola de Artes Visuais do Parque Lage tem o prazer de convidar para a palestra do historiador de arte francês Georges Didi-Huberman. Essa fala integra o Seminário Internacional Chamar as Chamas: imagens, gestos, levantes e dá continuidade às discussões que ocorreram ao longo da semana ampliando o diálogo estabelecido entre George Didi-Huberman e o público. O título da palestra faz referência ao meio-ambiente, partindo da obra de Eisenstein para falar do tema cuja base é a “revolta”. Como ele mesmo descreve:

“Tratarei do Encouraçado Potemkim de Eisenstein, um filme que imagino ter sido importante para Glauber Rocha no momento em que ele pensava em Terra em Transe. Como Glauber, Eisenstein é um poeta da política. Ora, o paradoxo de um poema está frequentemente no fato de que o « corte » (das frases) produz uma « atmosfera » (um ambiente emocional), ou seja, algo que parece não ter qualquer enquadramento, qualquer fronteira. Eisenstein trabalha em seu filme, ao mesmo tempo, o corte (obrez) e o ambiente (sreda), alternando o que ele mesmo chama « montagem rítmica » e « montagem tonal ». Construirei uma reflexão sobre a noção de « ambiente » e os paradigmas que o próprio Eisenstein lhe atribui : colorismo, musicalidade, poesia. Trata-se de compreender como se constrói um poema da história.
Georges Didi-Huberman.

>> Palestra em francês com tradução consecutiva oferecida pela Embaixada da França.
Entrada gratuita!