EAV Parque Lage

Arqueologia do Cotidiano - O acontecimento e o trivial como instrumento de produção em arte

Arqueologia do Cotidiano - O acontecimento e o trivial como instrumento de produção em arte

Professora: Fábia Schnoor

Cursos – Julho 2020
Julho . Segundas e sextas, de 11h às 13h
R$400,00

butao_venda

*Leia atentamente todas as normas de matrícula antes de se inscrever. Clique aqui.
A matricula online não oferece desconto. A política de descontos só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.

A partir de referências e exercícios, é proposto ao aluno rever as práticas cotidianas, procurando estranhar o que é comum, perceber os detalhes dos gestos, das relações com os objetos, seus significados afetivos ou inesperados. Cuidar do entorno e do detalhe em um alargamento da experiência da simplicidade. Estar vivo no instante e no ambiente, como recurso de construção poética.

O que nos separa ou nos une do que fazemos? Como nossos artefatos ou objetos, atos ou pequenas escolhas determinam nossos olhares ou nossas construções diárias? Partindo desse estado de atenção como conexão com o meio externo e interno, não só na mente e no corpo, mas na alteridade, no ambiente natural e artificial que nos cerca, seguimos para exercícios que acolhem o acaso, o inesperado e também o erro como instrumento de trabalho.

Conteúdo
A cada semana serão trazidas referências teóricas pela professora, de diversas áreas do conhecimento para a reflexão, assim como metodologias para desenvolvimento do trabalho. Serão propostos exercícios práticos para serem apresentados na aula seguinte e analisados em grupo. Cada aluno apresentará um portfólio ou texto ao final do curso.

Dinâmica
Aulas por videoconferência
Exercícios semanais com acompanhamento coletivo em aula
Acompanhamentos individuais com debates coletivos em aula
Compartilhamento de referências semanais com debates coletivos em aula

Público
Indicado para pessoas interessadas em desenvolver processos artísticos e pessoas com processos artísticos em andamento.

Materiais necessários
Acesso à internet
Computador ou celular com câmera

Referências
Hans Peter Feldman
Georges Adéagbo
Liliana Porter
Cao Guimarães
Manuel de Barros
Vilém Flusser
James Thiérrée
Aby Warburg

Arte Contemporânea, Prática Artística, Cotidiano

Fábia Schnoor nasceu em 1976 no Rio de Janeiro, onde vive e trabalha. É artista visual, pesquisadora independente e professora da Escola de Artes Visuais do Parque Lage.
Tem formação em artes visuais (EAV), e Arte Educação na Escolinha de Arte do Brasil.
Em 2009, participa do curso História e Tempo: História e Cultura da Memória com a professora Margarida de Souza Neves na PUC-RJ.
De 2009 a 2012, participa do curso Análise e Inserção da Produção Contemporânea com Iole de Freitas. Em 2012 é selecionada para o programa Projeto Pesquisa com Glória Ferreira e Luiz Ernesto, ambos na Escola de Artes Visuais do Parque Lage.No mesmo ano, atua como assistente do artista Antony Gormley na montagem do trabalho Amazonian Field – CCBB-RJ . Em 2013, participa do programa de Residência Berlin Im Fokus em Berlim e em 2015 faz a residência ECHANGEUR 22, na França.

Participou de exposições coletivas no Brasil e no exterior, dentre elas:
Residual Benefits, phICA, Instituto de Arte Contemporânea de Phoenix – Arizona, EUA 2012, Abre Alas, A Gentil Carioca, RJ, 2013, Noite Azul Elétrico, Mendes Wood – SP, 2013, A Imagem em Questão, EAV, 2013, Ressonâncias, Künstlerhaus Bethanien, Berlim, 2013.
Em 2014 é indicada ao Prêmio Pipa e em 2015 faz a exposição individual LUGAR, no Centro Cultural Cândido Mendes – RJ, a convite de Paulo Sérgio Duarte que assina a curadoria e o texto crítico. Em 2016 faz a individual topografia do instante, com curadoria de Keyna Eleison, no Centro Cultural da Justiça Federal – RJ. Em 2017 participa da coletiva A Escola em Transe com curadoria de Lisette Lagnado e Ulisses Carrilho, na EAV e é selecionada para o projeto Imersões Poéticas, com orientação de Marcelo Campos, Marisa Florido, Efrain Almeida e Cadu. Em 2018 faz a coletiva Flutuantes, no Paço Imperial-RJ em 2018 e a individual Post-It Drawings na Galeria 55SP – SP com curadoria Julia Moreli. Fábia participa ainda em 2018 da Bienal Internacional de Arte SIART – “LOS ORÍGENES DE LA NOCHE”, Bolivia, com curadoria de Keyna Eleison.