Arquitetura para arte

Arquitetura para arte

Waldemar Cordeiro, Fantasia Exata, Itaú Cultural. Curadoria: Fernando Cocchiarale

Professores: Ivan Pascarelli Ferreira e Marcelo Camargo

Férias de Verão 2020
09 de janeiro a 13 de fevereiro
Quinta-feira, 10:00–12:00
R$ 550,00
 

Apresentar as etapas essenciais da conceituação espacial de projeto de montagem de exposições de arte. O curso tem caráter introdutório e vai abordar as principais etapas do trabalho de projeto, concepção e montagem de exposições. Pretendemos discutir com estudantes, artistas, designers, arquitetos, produtores culturais e demais interessados como avaliar e pensar os espaços para execução de projetos de arquitetura de montagem de exposições, com os temas e locais propostos pela curadoria e/ou produção, seja uma exposição em espaço fechado, envolvendo a concretização do espaço expositivo, seja em espaço aberto, envolvendo estratégias próprias necessárias a esses locais.

Conteúdo
Curso prático sobre o modo de olhar os espaços expositivos e as possibilidades de cooperação entre o arquiteto responsável pela montagem de exposições de arte as demais equipes como a curadoria e/ou produção.

Dinâmica
Conversa com os alunos, para identificar suas expectativas e domínio do assunto, suas experiências e conhecimento de espaços expositivos. Desenvolvimento das técnicas e pensamentos de montagem. Visita ao Museu de Arte moderna do Rio de Janeiro, com conversa com curador e participações nas aulas de profissionais envolvidos nos processos executivos de exposições., abordando as diversas necessidades espaciais e estéticas de uma exposição.

Bibliografia
CASTILLO, Sônia Salcedo del. Cenário da Arquitetura da Arte: Montagens e Espaços de Exposições. Martins Fontes, 2008.
DOHERTY, Brian. No Interior Do Cubo Branco: a Ideologia Do Espaço Da Arte. Martins Fontes, 2002.
OURIQUES, Evandro Vieira; LINNEMANN, Ana; LANARI, Roberto. Manuseio e Embalagens de Obras de Arte. Funarte, 1989.

Ivan Pascarelli é arquiteto, designer de montagem e consultor técnico.Destaca entre suas principais experiências as exposições: Arte Foto – CCBB – RJ e BRASÍLIA; Franz Weissman – Uma Retrospectiva – MAM e CCBB-RJ; Athos Bulcão – Uma Trajetória Plural – CCBB-RJ; Mostra Rio de Arte Contemporânea – MAM-RJ; Violência e Paixão – SANTANDER CULTURAL – PORTO ALEGRE e MAM-RJ; Facchinetti – CCBB-RJ; O Corpo na Arte Contemporânea – ITAÚ CULTURAL – SP; Arte Moderna em contexto – Coleção ABN AMRO REAL – MAM – RJ, SEDE BANCO REAL – SP, MON-PR, CENTRO CULTURAL BANCO REAL – PE, PALÁCIO DAS ARTES-BH; Cinema de Artistas – Centro Cultural OI FUTURO – RJ; Waltercio Caldas – MUSEU VALE DO RIO DOCE – ES e MAM – RJ; Ivens Machado – CENTRO CULTURAL OI FUTURO; Franz Manata e Saulo Laudares – CASA DE CULTURA LAURA ALVIM-RJ, Marcos Chaves – Alucinação à beira-mar – CASA DE CULTURA LAURA ALVIM-RJ; Ana Linnemann-Cartoon-CASA DE CULTURA LAURA ALVIM-RJ; Cadu-Entardecer no ano do coelho; Ronald Duarte – CASA DE CULTURA LAURA ALVIM-RJ; Franklin Cassaro – CASA DE CULTURA LAURA ALVIM-RJ; Marta Jourdan – CASA DE CULTURA LAURA ALVIM-RJ; Waldemar Cordeiro – ITAÚ CULTURAL-SP e Paço Imperial-RJ; Elisa Magalhães – Centro Cultural OI FUTURO IPANEMA; Entre a fazenda e o arranha céu – Arte contemporânea na fazenda SÃO LUIZ DA BOA SORTE- RJ; Guilherme Vaz-CCBB-RJ; Moriconi – CENTRO CULTURA DOS CORREIOS-RJ; Ferreira Gullar – BNDES-RJ; Gabriele Basilico – CENTRO CULTURAL Oi FUTURO – RJ; Nan Goldin-MAM/RJ; Elisa Magalhães – PAÇO IMPERIAL-RJ; Flamengo: história de uma paixão – CASA FRANÇA BRASIL; Museu Nacional vive – CCBB-RJ.

Marcelo Camargo atua com criação, execução, gerência, produção e edição de montagem, cenografia, museografia (exposições, feiras e eventos), edição de imagem. Trabalha há 42 anos na realização de diversos projetos, sempre relacionados ao meio museal, como guarda e conservação de acervos, montagem de exposições, produção de cenografia e eventos. Teve suas primeiras experiências no Museu de Folclore Edson Carneiro. Trabalhou nos escritórios da Fundação Nacional de Arte no Rio de Janeiro e no Instituto Nacional da Fotografia, que se transforma mais tarde na Coordenadoria de Artes Visuais. Também trabalhou no Arquivo Nacional, na Coordenadoria de Acesso e Difusão Documental, dentro da Programação Visual. Entre as atividades desenvolvidas destacam-se: pesquisa, levantamento, tombamento e classificação de acervos. Pesquisa de materiais e técnicas, orçamentos, cronogramas, projetos cenográficos, programação visual, produção gráfica, edição de imagens e coordenação de projetos. Tendo ainda experiência com mostras de fotografia, artes plásticas, projetos de criação de museus, montagem e como assistente da coordenação de museologia da 24° Bienal de Arte de São Paulo, sob a supervisão de Margareth de Morais. Coordenou feiras internacionais de arte e ciências. Organizou e criou manuais de montagem de exposições. Atualmente é assistente no atelier do artista Carlos Vergara.