EAV Parque Lage

Arte Brasileira em Diálogo

Arte Brasileira em Diálogo

Tunga – Xifópagas Capilares, 1984

Professor: Paulo Couto

Cursos de Férias – 2021
18 de janeiro a 11 de fevereiro
Segundas e quintas, de 19h às 22h
R$ 450,00

butao_matriculabutao_matriculabolsa

*Leia atentamente todas as normas de matrícula antes de se inscrever. Clique aqui.


ARTE BRASILEIRA, ARTE MODERNA, ARTE CONTEMPORÂNEA

SOBRE
Curso introdutório de história da arte brasileira que tem por objetivo fazer a mediação entre as obras, alunas e alunos por meio da visualização e da compreensão dos artifícios plásticos desenvolvidos pelos artistas e que caracterizam os diferentes movimentos artísticos. A arte acadêmica, o modernismo de 1922, o concretismo e o neoconcretismo, a Nova Objetividade e o momento atual da arte contemporânea serão abordados com o objetivo de construir um olhar informado pelas bases teóricas, capaz de interpretar as obras dentro de suas particularidades materiais e históricas. Serão feitas associações com as obras de artistas e movimentos internacionais que foram referências acionadas por artistas brasileiros, que se relacionam com os rumos tomados no processo de adaptação dessas linguagens no contexto nacional e na construção de um repertório cultural. Da mesma forma serão introduzidas as teorias centrais dos principais críticos brasileiros que contribuíram para a narrativa especializada da teoria e da história da arte brasileira. O que perpassa todo o curso e que pretende tratar da grande diversidade de gêneros artísticos brasileiros é o investimento na construção de um olhar informado que viabilize a leitura dos aspectos formais das obras e o entendimento dos conceitos que carregam, passando um laço entre as gerações de artistas e as pautas culturais e políticas mobilizadas no processo de desenvolvimento da arte brasileira.

CONTEÚDO
A arte brasileira é marcada pela condição de não ter um período clássico. Afora a presença de um Barroco pujante e as pinturas de viagens com caráter etnográfico, é com a arte acadêmica que se inaugura a prática educativa e profissional institucionalizada da arte no país, no século XIX. É com a vanguarda modernista de 1922 que surge um campo artístico autônomo onde a busca por originalidade e autoria são perseguidas por artistas com perfil independente para construir uma cultura e uma identidade brasileira. Com a arte concreta em meados do século XX o campo artístico se complexifica e surgem novas maneiras de representar um ideário cultural moderno através da abstração. O neoconcretismo, então, aparece como uma renovação nos modos de relação sensorial entre as obras e os espectadores. A Nova Objetividade Brasileira acontece em sintonia com uma transformação global no universo da arte e introduz no cenário brasileiro os gêneros contemporâneos. No momento atual a pluralidade de pesquisas, suportes, e modalidades artísticas fazem da arte brasileira um campo fértil para entendermos as questões centrais no século XXI, em âmbito nacional e internacional. No curso remontaremos esse processo histórico e social através da visualização dos aspectos formais das obras que revelam como suas propriedades materiais exprimem essas mudanças.

DINÂMICA
Aula expositiva em videoconferência

PÚBLICO
Indicado para pessoas interessadas em conhecer e/ou pesquisar o tema.
Não exige conhecimentos prévios.

REFERÊNCIAS

BRITO, Ronaldo. Neoconcretismo – Vértice e Ruptura do Projeto Construtivo Brasileiro. Rio de Janeiro: Cosac & Naify, 1999.

CHIARELLI, Tadeu. Um modernismo que veio depois. São Paulo, Alameda Casa Editorial: 2012.

COCCHIARALE, Fernando; GEIGER, Anna Bella. Abstracionismo Geométrico e Informal – A Vanguarda Brasileira nos anos 1950. Rio de Janeiro: Funarte, 1987.

COTRIM, Cecilia; FERREIRA, Glória (orgs.). Escritos de artistas – anos 60/70. Rio de Janeiro, Zahar: 2006.

FERREIRA, Glória. Crítica de Arte no Brasil – Temáticas Contemporâneas. Rio de Janeiro: Funarte, 2006.

GULLAR, Ferreira. Etapas da arte contemporânea – do cubismo à arte neoconcreta. Rio de Janeiro, Revan: 1998.

NAVES, Rodrigo. A forma difícil – ensaios sobre arte brasileira. São Paulo, Companhia das Letras: 2011.

RECURSOS NECESSÁRIOS
Acesso à internet
Computador ou celular com câmera

SECRETARIA
– Todos os cursos online emitem certificado.
– A matrícula online não oferece desconto.
– A política de descontos só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.

PAULO COUTO
Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da UFRJ, no qual desenvolveu a tese “Waldemar Cordeiro e o Concretismo”. Pesquisador das áreas de arte, cultura e comunicação. Foi aluno da Escola de Artes Visuais do Parque Lage. É colaborador permanente da Revista O Fermento, onde publica artigos e ensaios.