EAV Parque Lage

Arte como Conhecimento

Arte como Conhecimento

Manata Laudares – Terranos, 2020. Foto: ateliê Manata Laudares 2020

Professor: Franz Manata

Semestral 2020.2
05 de agosto a 09 de dezembro
Quartas, de 11h às 13h
R$1485,00 ou 5x R$ 297,00

botao_venda

*Leia atentamente todas as normas de matrícula antes de se inscrever. Clique aqui.
A matricula online não oferece desconto. A política de descontos só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.


HISTÓRIA DA ARTE, ARTE MODERNA, ARTE CONTEMPORÂNEA

SOBRE
O curso teórico apresenta aos iniciantes como os artistas construíram a arte enquanto um campo do pensamento. Por meio de uma abordagem histórica, será traçado um panorama da pré-história aos dias atuais, privilegiando o ponto de vista dos artistas.

CONTEÚDO
O curso se organiza a partir dos seguintes temas: Problematizando a arte enquanto um campo do conhecimento; O que confere o status de arte e como sua cadeia de legitimação constitui o saber artístico de uma época; Os contextos históricos e sua formação; A representação na Pré-história, sua vocação idealista nos gregos (século VII a.C.) e realista da Renascença (século XV até a crise da representação instituída pelos Impressionistas); Vertente Formal-Expressiva: Expressionismo, Fauvismo, Futurismo e Expressionismo Abstrato; Vertente Formal-Construtiva: Cubismo, Neoplasticismo, Construtivismo e todas as vertentes de cunho geométrico; Vertente Simbólica: Simbolismo e Surrealismo; Vertente Conceitual: Dadaísmo, Arte Conceitual, Pop Art e Arte Contemporânea.

Ao longo dos encontros será apresentado um vasto conjunto de imagens e vídeos. Quando contextualizado com o conteúdo tratado, os participantes serão convidados a realizar visitas a exposições junto com o professor*.

*Os encontros realizados em espaços culturais serão marcados conforme as recomendações de isolamento social.

DINÂMICA
Aula expositiva por videoconferência
Compartilhamento de referências semanais com debates coletivos em aula

PÚBLICO
Indicado para pessoas interessadas conhecer e/ou pesquisar o tema.

REFERÊNCIAS

ARGAN, Giulio. A História da arte. In: História da arte como História da cidade. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

ARGAN, Giulio Carlo. Arte e crítica de arte. Lisboa: Estampa, 1988.

BASBAUM, Ricardo (org.). Arte Contemporânea Brasileira: Texturas, Dicções, Ficções, Estratégias.
Rio de Janeiro: Rios Ambiciosos, 2001

CALABRESE, Omar. A linguagem da Arte. Rio de Janeiro: Globo, 2002

CANEVACCI, Massimo. Antropologia da comunicação visual. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

CANCLINI, Néstor Garcia. A socialização da Arte. São Paulo: Cultrix, 1984

COCCHIARALE, Fernando & GEIGER, Anna Bella. Abstracionismo geométrico e informal: a vanguarda brasileira nos anos cinquenta. 2. ed. Rio de Janeiro: Funarte, 2004.

FERREIRA, Glória (Org.). Crítica de arte no Brasil: temáticas contemporâneas. Rio de Janeiro: Funarte, 2006.

DIDI-HUBERMAN, Georges. A História da arte no limite de sua simples prática. In: Diante da
imagem: que tão colocada aos fins de uma história da arte São Paulo: Ed. 34, 2013.

DUARTE, Paulo Sérgio. Arte brasileira contemporânea: um prelúdio. 1a Edição: Editora Silvia Roesler Edições de arte, 2008.

PANOFSKY, Erwin. A história da arte como uma disciplina humanística. In: Significado nas artes visuais. São Paulo: Perspectiva, 1979.

RECHT, Roland. A escrita da história da arte diante dos modernos: observações a partir de Riegl, Wölfflin, Warburg e Panofsky. In: Arte & Ensaios, Revista do Programa de – traduação em Artes Visuais, EBA/UFRJ, Rio de Janeiro, ano XXII, n. 30, dez. 2015.

GONZAGA DUQUE. A Arte Brasileira. Campinas, SP: Mercado de Letras, 1995. [Primeira edição: 1888]

PEREIRA, Sonia Gomes. A Academia de Belas Artes e a historiografia da arte no Brasil. In:
CAVALCANTI, Ana; MALTA, Marize; PEREIRA, Sonia G. (orgs.). Coleções de arte: formação, exibição e ensino. Rio de Janeiro: Rio Books/Faperj, 2015.

ARCHER, Michael. Arte contemporânea: uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

BRETT, Guy. Brasil Experimental-arte/vida, proposições e paradoxos. Rio de janeiro: Contra Capa, 2005.

DE DUVE, Thierry. O que fazer da vanguarda? In: Arte & Ensaios, Revista do Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais – EBA / UFRJ, Rio de Janeiro, n. 20, jul. 2010. Disponível em http://www.ppgav.eba.ufrj.br/w p-content/uploads/2012/01/ae20 _Thierry_Duve.pdf

FERREIRA, Glória; COTRIM, Cecília (orgs.). Escritos de Artistas – Anos 60/70. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

CHARTIER, Roger. Introdução; História intelectual e história das mentalidades. In: A história cultural: entre práticas e representações. Rio de Janerio: Bertrand Brasil, 2007.

ZANINI, Walter. História Geral da Arte no Brasil. São Paulo: Instituto Walther Moreira Salles, 1983. 2. v.

RECURSOS NECESSÁRIOS
Acesso à internet
Computador ou celular com câmera

SECRETARIA
– Todos os cursos online emitem certificado.
– A matrícula online não oferece desconto.
– A política de descontos só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.

FRANZ MANATA
É artista, curador e professor. Mestre em Linguagens Visuais pela EBA-UFRJ, com formação em Economia e especialização em Sociologia e Administração Financeira na PUC-MG. Trabalhou, durante oito anos, no departamento curadoria do MAM-RJ. Nos últimos anos publicou textos, participou de debates, encontros, palestras e comissões de seleção. Atualmente leciona na Escola de Artes Visuais do Parque Lage/RJ, é curador independente e consultor de arte para instituições públicas, coleções privadas e corporativas. Como artista trabalha em parceria com Saulo Laudares desenvolvendo o duo Manata Laudares e, desde 1998, vem participando de exposições individuais e coletivas no Brasil e exterior. O duo é representado pela Sé Galeria, em São Paulo.