Arte: Processos e Afetos

Arte: Processos e Afetos

Felipe Carnaúba. Los propliemas, 2019.

_
Professores: Bob N e Edmilson Nunes

Férias de Inverno 2019
04 de julho a 1º de agosto
[Dias 4, 11, 18, 25 de julho e 1º de agosto]
Quinta-feira, 19:00–22:00
R$ 250,00

Curso dirigido a estudantes de arte com projetos próprios em desenvolvimento, artistas em busca de novas informações e profissionais de áreas afins com objetivo de criar entre os participantes – professores e alunos – um ambiente de troca e convivência que enriqueça os processos criativos aumentando a capacidade de reflexão acerca da própria obra e de sua relação com as demais produções, o mundo, as artes ao longo da história e da época presente, elaborando sobretudo a partir das questões, vivências e experiências individuais dos alunos o desenvolvimento de suas próprias poéticas e linguagens, de forma livre e independente de imposições e temas preestabelecidos.

Conteúdo
Questões pertinentes às produções atuais, colocadas a partir da bibliografia e filmografia propostas, e visitas de profissionais atuantes (artistas/curadores) gerando discussões e reflexões sobre: movimentos entre cultura popular e erudita, natureza e civilização, geografia,colonização e identidade, mercado, consumo e autonomia, matéria e poesia, construção e acaso e suas implicações nos processos e produções individuais no tocante a: legitimidade ou autenticidade e farsa, atitude e artifício, busca de linguagem ou poética e engajamento estético, fazeres do artista e manipulação de conceitos, emprego de meios e técnicas diversas, autoria e apropriação, modos de produção individual e coletivo.

Dinâmica
Durante os encontros os alunos apresentarão seus projetos que serão considerados em seus diversos aspectos, levando em conta questões formais, conceituais etc., mas sobretudo serão ponto de partida para trocas e reflexões mais abrangentes que possam nutrir todos os processos dos diversos participantes, propondo desafios, explorando possibilidades e desenvolvendo afetos até que a aula se torne a própria experiência artística.

Referências
ANDRADE, Oswald de, Manifesto Antropófago. Revista de Antropofagia, Augusto de Campos, Clube de Antropofagia, Volumes 1-2, Editora Abril, 1928.
ALENCAR, José de. Iracema. 24. ed. Ática, 1991.
CLARK, Lygia. Meu Doce Rio. Livro-Obra 1983-1984.
DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Mil Platôs Capitalismo e Esquizofrenia. São Paulo: Editora 34, 1995.
DIDI-HUBERMAN, Georges. Diante da imagem: questão colocada aos fins de uma história da arte. Trad. Paulo Neves. São Paulo: Editora 34, 2013.
FLUSSER, Vilém. A Dúvida. Rio de Janeiro: Sinergia – Relume Dumará, 2009.
PAZ, Octavio. O Arco e a Lira. São Paulo: Cosac Naify, 2014.
PRIGOGINE, Ilya. O fim das certezas: tempo, caos e as leis da natureza. São Paulo: UNESP, 1996. ROUSSEAU, Jean-Jacques. Os Devaneios do Caminhante Solitário. L&PM, 2008.

Filmografia
A Super Fêmea (1973). Dir: Aníbal Massaini Neto
A Cor da Romã (1969). Dir: Sergei Parajanov
Bande à part (1964). Dir: Jean-Luc Godard
Blue (1993). Dir: Derek Jarman
Decameron (1971). Dir: Pier Paolo Pasolini
Exit Through The Gift Shop (2010). Dir: Banksy
Feios, Sujos e Malvados (1976). Dir: Ettore Scola
Limite (1931). Dir: Mário Peixoto
Macunaíma (1969). Dir: Joaquim Pedro de Andrade
Nossa Música (2004). Dir: Jean-Luc Godard
Stalker (1979). Dir: Andrei Tarkovski

Bob N
Faz arte desde criança. Usa protetor solar, mas às vezes esquece. Artista Plástico. Estudou com Ivan Serpa, Orlando Mollica e Jan van Eyck, mesmo. A Felicidade às vezes mora aqui, MAC – Niterói, 2013, 29ª Bienal de São Paulo SP (programação dos terreiros) 2010, Pindorama Lounge individual MAM-RJ 2009, A Gentil Carioca – Rio de Janeiro, 2008 RJ, Ncruzilounge, Bienal de Liverpool (The Independent), 2002, Contemplation Room Overgaden Gallery – Copenhagen, Dinamarca, 2002. Um Século de Arte Coleção Gilberto Chateaubriand, MAM – RJ, Pinacoteca – SP, 2006, VERBO, Galeria Vermelho – São Paulo, SP, 2005, Salão da Bahia, MAM – BA, 2000, RJ. www.bobn.ws