EAV Parque Lage

ARTISTAS MULHERES NO BRASIL – MÓDULO 2

Professor: FERNANDA LOPES E CAROLINA MARTINEZ

Curta duração
26 de outubro a 23 de novembro.
Terças, de 19h às 21h
R$ 380,00

butao_matriculabutao_matriculabolsa

*Leia atentamente todas as normas de matrícula antes de se inscrever. Clique aqui.
A matricula online não oferece desconto. A política de descontos só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.

 

SOBRE 

O curso propõe um panorama da história da arte brasileira no século 20, tendo como ponto central a produção de artistas mulheres no Brasil, com o objetivo de debater a inserção e ressonância da atuação feminina nas artes. Cada encontro será dedicado à obra de artistas específicas, de diferentes gerações e poéticas, que servirão de fio condutor para as discussões. Além de apresentar um panorama amplo de suas trajetórias, também serão discutidas questões importantes para o contexto de suas produções e também da arte brasileira naquele momento. Uma bibliografia auxiliar será sugerida para aqueles que desejarem aprofundar os tópicos apresentados, incluindo não só livros e artigos, documentários, entrevistas e páginas na internet.
O curso está dividido em dois módulos complementares, mas independentes entre si.

CONTEÚDO

Encontro 1: Ana Vitória Mussi, Regina Vatter, e Claudia Andujar
O primeiro encontro vai abordar as produções de Ana Vitória Mussi, Regina Vatter e Vera Chaves Barcellos, e a discussão da fotografia e processos fotográficos na arte brasileira dos anos 1970.
Encontro 2: Letícia Parente, Sonia Andrade e Vera Chaves Barcellos
A partir da apresentação das obras de Letícia Parente, Sonia Andrade e Vera Chaves Barcellos, seguimos a discussão sobre a produção artística dos anos 1970 no Brasil com obras interessadas especialmente na utilização do vídeo.
Encontro 3: Celeida Tostes, Marcia-X e Martha Araújo
Seguindo a discussão sobre o início da produção contemporânea no Brasil, o terceiro encontro vai se dedicar à apresentação e discussão das obras de Celeida Tostes, Marcia-X e Martha Araújo, explorando especialmente suas relações com o corpo e a performance.
Encontro 4: Carmela Gross e Fernanda Gomes
O último encontro vai abordar produção de Carmela Gross e Fernanda Gomes tendo como um dos pontos de diálogo a relação da obra com o espaço – seja ele em sua dimensão arquitetônica, institucional ou pública.

 

DINÂMICA

Aula expositiva em videoconferência
Compartilhamento de referências semanais com debates coletivos em aula

PÚBLICO

Indicado para pessoas interessadas em conhecer e/ou pesquisar o tema
Não exige conhecimentos prévios

RECURSOS NECESSÁRIOS

Acesso à internet
Computador ou celular com câmera

SECRETARIA 

– Todos os cursos online e presenciais emitem certificados.

– A política de bolsas só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.

REFERÊNCIAS

PEDROSA, Adriano; CARNEIRO, Amanda; MESQUITA, Andre (org). História das mulheres, histórias feministas: vol 2 Antologia. São Paulo: MASP, 2019.
ARMSTRONG, Carol & ZEGHER, Catherine de (ed). Women artists at the millennium. MIT Press, 2006.

FERNANDA LOPES
Fernanda Lopes é crítica de arte e pesquisadora. Doutora em história e crítica de arte pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), é professora da Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Publicou os livros Francisco Bittencourt: Arte-Dinamite (2016), Área Experimental: Lugar, Espaço e Dimensão do Experimental na Arte Brasileira dos Anos 1970 (2012) e Éramos o time do Rei – A Experiência Rex (2006). Foi curadora assistente do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (2016-2020) e curadora associada em artes visuais do Centro Cultural São Paulo (2010-2012). Em 2017 recebeu, com Fernando Cocchiarale, prêmio da Associação Brasileira dos Críticos de Arte pela curadoria de exposição Em Polvorosa – Um panorama das coleções MAM-Rio (2016).

CAROLINA MARTINEZ
Carolina Martinez é artista, formada em Arquitetura e Pós-Graduada em História de Arte e Arquitetura no Brasil pela PUC-Rio. Passou a ser conhecida por seu trabalho artístico em 2010, ao participar do Salão de Arte Contemporânea do Museu de Arte de Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. Desde então Martinez vem expondo em Individuais e Coletivas pelo Brasil e Estados Unidos, como por exemplo: “Seeing Thru Abstraction”, Residency Unlimited (Brooklyn,NY – 2015), “Fulfillment Solo-Show”, Residency Unlimited (Brooklyn,NY – 2015), “Aquilo que não conseguia ver”, individual  Galeria Portas Vilaseca (Rio de Janeiro, 2016) “A Questão do Espaço na arte”, EAV-Parque Lage (Rio de Janeiro, 2014); “Às Avessas”, individual  Galeria Laura Marsiaj (Rio de Janeiro, 2013); “Atributos do Silêncio”, Galeria Bergamin (São Paulo, 2015) e “Novíssimos”, Galeria IBEU (Rio de Janeiro, 2013) e AAA – Antologia de Arte e Arquitetura, curadoria de Sol Camacho– Galpão Fortes D’Aloia & Gabriel (São Paulo, 2020). Atualmente sua obra é representada por duas galerias no Brasil, sendo elas: Galeria Portas Vilaseca no Rio de Janeiro e Galeria Marília Razuk em São Paulo.