EAV Parque Lage

Atelier da Escuta - o silêncio não existe

Atelier da Escuta - o silêncio não existe

Scordatura, 2016. Foto: Cicero Rodrigues

Professora: Ana Emerich

Curta duração 2020.2
01 de setembro a 17 de novembro
Terças, de 19h às 21h
R$990,00 ou 3x de R$ 330,00 mensais

butao_venda

*Leia atentamente todas as normas de matrícula antes de se inscrever. Clique aqui.
A matricula online não oferece desconto. A política de descontos só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.

ARTES DO SOM, ARTES VISUAIS, PRÁTICA ARTÍSTICA, ARTE CONTEMPORÂNEA

SOBRE
Atelier da Escuta – o silêncio não existe – articula artes do som e artes visuais em diálogos com o tempo presente.

Termo constitutivo do campo da música, cluster pode ser descrito como um conjunto de elementos que ecoam de maneira simultânea e equânime. A sonoridade resultante deste gesto poético não obedece hierarquias de um sistema de valores harmônicos ou tonais, e abarca horizontes da imaginação. Aqui, nos caberá pensar esta imagem e sua notação como um efeito que desestabiliza padrões estanques, como proposição conceitual e abertura.

CONTEÚDO
Nas práticas em ateliê – pensar fazendo e fazer pensando –, cada cluster será composto de referências e perguntas tão específicas quanto desviantes, com a vontade de que façam provocações às pesquisas artísticas das pessoas participantes.

Os blocos de materiais e referências serão encaminhados com antecedência, de maneira que os encontros em tempo ao vivo sejam lugares de conversa e repercussão destes conteúdos, para aprofundamento dos assuntos propostos e acompanhamento dos percursos.

CRONOGRAMA
01 de Setembro
Panorama geral do curso. Apresentação da metodologia e conteúdos elencados. Pequenos exercícios de aproximação e primeiras escutas.

08 e 15 de Setembro
Cluster N.1 – Escalas

Intensidades sonoras | Galina Ustvolskaya | Amaro Freitas | Planos dinâmicos | Sejam leves! | Handbook of Tyranny | “Livro das Sonoridades” | Gravidade máxima | “Como superar o grande cansaço”? | Eduardo Fukushima | Cildo Meireles | Clementina de Jesus | Poéticas do céu da boca | Katú Mirim | Davi Kopenawa

Dinâmica dos encontros: Repercussão de conteúdos e escuta dos processos individuais, em grupo.

22 e 29 de Setembro
Cluster N.2 – Topologias

Frequências sonoras | Ansel Adams | Noriel Vilela | Paulo Tavares | Acervo Memória Lage | Luiz Cláudio da Costa | Nuno Ramos | Cláudia Müller | Notações | John Cage | Faith Ringgold | Lina Bo Bardi | Barbara Copque | Arvo Pärt | O que soa, e o que soa latente? | Coreografias

Dinâmica dos encontros: Repercussão de conteúdos e escuta dos processos individuais, em grupo.

06 e 13 de Outubro
Cluster N.3 – a confirmar após contato com as pesquisas

20 e 27 de Outubro
Cluster N.4 – a confirmar após contato com as pesquisas

03 e 10 de novembro
Cluster N.5 – a confirmar após contato com as pesquisas

17 de novembro
Finalização. Resumo dos principais aspectos percorridos e apontamentos para as pesquisas de cada participante.

DINÂMICA
Aula por videoconferência.
Exercícios semanais com acompanhamento coletivo em aula.
Compartilhamento de referências semanais com debates coletivos em aula.

PÚBLICO
Indicado para pessoas interessadas em desenvolver processos artísticos e pessoas com processos artísticos em andamento.

REFERÊNCIAS
CAMPOS, Augusto de. Música de invenção. São Paulo: Perspectiva, 1998.

CAGE, John. De segunda a um ano. Rio de Janeiro: Cobogó, 2013

CORREIA, Marina; CALISTO, Ana Maria Durán; GARETH, Doherty; MOSTAFAVI, Mohsen; VALENZUELA, Luis. (Eds/Orgs). Urbanismo ecológico na América Latina/ Urbanismo ecológico en América Latina. Cambridge: The Harvard University – School of Design, 2019.

DA COSTA, Luiz Cláudio. A gravidade da imagem: arte e memória na contemporaneidade. Rio de Janeiro: Quartet-Faperj, 2014.

FAJARDO-HILL, Cecília; GIUNTA, Andrea. Mulheres Radicais: arte latino-americana 1965/1980. São Paulo: Pinacoteca de São Paulo, 2018.

FERRAZ, Silvio. Livro das sonoridades [notas dispersas sobre composição]. São Paulo: Sete Letras, 2005.

FERREIRA, Glória; COTRIM, Cecília. (Org). Escritos de artistas: anos 60/70. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2006.

KOPENAWA, Davi & ALBERT, Bruce. A queda do céu – Palavras de um xamã yanomami.
São Paulo: Companhia das Letras, 2016.

MBEMBE, Achille. Direito Universal à respiração. Tradução de Ana Luiza Braga. São Paulo: N-1 editora, 2020. Online (https://n-1edicoes.org/020)

VOLZ, Jochen; NGCOBO, Gabi. (Org). Art, the Political and Multiple Truths [Verbier Art Summit]. Londres: Koening Books, 2019.

RECURSOS NECESSÁRIOS
Acesso à internet
Computador ou celular com câmera

ANA EMERICH
Investiga diálogos entre lugar, pensamento escultórico e dimensões sonoro-visuais. Tem interesse por poéticas de deslocamento e por práticas artísticas em imersão temporal, articulando espaço, memória, escuta e imaginação política. Atuou como regente à frente de orquestras e coros, e na coordenação de projetos musicais na Fundação OSESP e Orquestra Petrobras Sinfônica. Desde 2015 participa de residências artísticas. Desenvolve trabalhos comissionados e suas criações são apresentadas em contextos expositivos, editoriais e cênicos em instituições como: Museu de Arte do Rio (MAR), Prêmio Rumos Itaú Cultural, Casa França-Brasil, SESC Copacabana, Teatro Sérgio Porto, Galeria USF Verftet (NO), Editora Urutau, Museu Histórico Nacional (MHN), entre outros. É bacharel em Música–Regência (UNICAMP), mestre e doutoranda em Arte e Cultura Contemporânea (UERJ).
www.anapaulaemerich.com