EAV Parque Lage

Conceituação em Projetos de Instalação, Intervenção e Ação

Conceituação em Projetos de Instalação, Intervenção e Ação

Nelson Félix – Vazio Coração [ Litoral ], 1999-2004

Professora: Fabiana Éboli Santos

Curso de Férias – 2021
05 a 27 de janeiro
Terças, de 20h30 às 23h
R$380,00

butao_matriculabutao_matriculabolsa

*Leia atentamente todas as normas de matrícula antes de se inscrever. Clique aqui.

ARTE CONTEMPORÂNEA, INSTALAÇÃO, INTERVENÇÃO E AÇÃO

SOBRE
O curso visa agregar conteúdo aos processos de pesquisa relacionados às linguagens da instalação, intervenção e ação. Oferece discussão de conceito e método aos projetos e trabalhos já em desenvolvimento.

CONTEÚDO
Conceituação das linguagens da instalação, da intervenção e da ação na arte contemporânea. Diferenciação entre elas e seus processos. Noções de espaço-tempo “real”, espaço-tempo presente e espaços virtuais. Observação de obras de artistas referenciais nestas linguagens.

Escuta dos projetos em andamento dos alunos; observações conceituais e teóricas; apresentação de referências visuais; apresentação de conceitos envolvidos; debate; sugestão de leituras, etc.

DINÂMICA
Curso online
Acompanhamentos individuais com debates coletivos em aula
Compartilhamento de referências semanais com debates coletivos em aula

PÚBLICO
Indicado para pessoas com processos artísticos em andamento.
Não exige conhecimentos prévios.

REFERÊNCIAS

AMARAL, Aracy. Projeto Construtivo Brasileiro na Arte. São Paulo: Pinacoteca do Estado de SP, 1977.

ARTE & ENSAIOS. Revista do Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da EBA-UFRJ. Diversos números.

BEUYS, Joseph. Cada homem um artista. Porto: Editora 7NÓS, 2010.

BRITO, Ronaldo. Neoconcretismo vértice e ruptura do projeto construtivo brasileiro. Rio de Janeiro: Cosac & Naify Edições, 1999.

CASTRO, Amílcar de. Repetição e Síntese. Belo Horizonte: CCBB 2013.

CONCINNITAS. Revista do Instituto de Artes da UERJ. Diversos números.

FABRO, Luciano. Luciano Fabro [catálogo da exposição]. Rio de Janeiro: Centro de Arte Helio Oiticica, 1997.

FELIX, Nelson. Nelson Felix. Rio de Janeiro: Casa da Palavra/Canal Contemporâneo, 2001.

FELIX, Nelson. Trilogias – conversas entre Nelson Félix e Glória Ferreira 1999-2004. Rio de Janeiro: Edições Pinakotheke, 2005.

FELIX, Nelson. Camiri. Vila Velha: Museu Vale do Rio Doce, 2006.

FELIX, Nelson. Camiri/4 cantos/Cavalariças. Rio de Janeiro: Ed. do artista, 2011.

FERREIRA, Glória e COTRIM, Cecilia. Escritos de Artistas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2006.

KWON, Miwou. One place after another. PDF; tradução na Revista Arte & Ensaios nº 17.
MAIA, Carmen. Cildo Meireles. Coleção Fala do Artista. Rio de Janeiro: Funarte, 2009.

MATOS, Diego e WISNIK, Guilherme. CILDO estudos, espaços, tempo. Rio de Janeiro: Ubu Editora, 2017.

OITICICA, Helio. Catálogo. Org. Centro de Arte Helio Oiticica. Rio de Janeiro, 1996.

PAPE, Lygia. Gávea de Tocaia. Rio de Janeiro: Cosac & Naify Ed., 2000.

TOSTES, Celeida. Rio de Janeiro, Aeroplano editora, s/d.

RECURSOS NECESSÁRIOS
Acesso à internet
Computador ou celular com câmera

SECRETARIA
– Todos os cursos online emitem certificado.
– A matrícula online não oferece desconto.
– A política de descontos só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.

FABIANA ÉBOLI SANTOS
Artista visual, Mestre em Linguagens Visuais na EBA-UFRJ com orientação de Lygia Pape e Paulo Venâncio Filho. Graduada em Sociologia e Política, pós-graduada em Relações Internacionais na PUC-RJ. Expôs individualmente entre os anos de 1998 e 2004, participa de mostras coletivas, oferece oficinas, escreve, é curadora de exposições e, desde 2103, organiza livros de Arte. Em 2019 lançou “Toyota conversa com o universo” na SP-ARTE, em 2018 “Y Poemas”, de Pedro Garcia com desenhos do autor, e em 2013 “Mario Carneiro Trânsitos”, com o Prêmio Procultura do MinC. Professora de Plástica na EBA-UFRJ em 2011 e 2012. Entre 2011 e 2016 colaborou com curadorias e textos no Projeto Vitrine Efêmera, RJ, dirigido por Julio Castro. Premiada em 2001 com a Bolsa de Pesquisa em Escultura da Faperj, e no Projeto Interferências Urbanas RJ, realizando instalação no espaço público. Ofereceu a oficina “Pesquisa de Linguagem Tridimensional” no SESC-RJ no início dos anos 2000. Fez curadorias entre 2005 e 2015 no Rio de Janeiro e em Recife, e teve projeto de curadoria aprovado no Programa de exposições do Paço Imperial para 2020-21.