EAV Parque Lage

DINÂMICA DAS CORES

Professor: BERNARDO MAGINA

Cursos semestrais
04 de agosto a 24 de novembro.
Quartas, de 10h às 12h30
R$ 1.400,00 ou 4x de R$ 350,00

butao_matriculabutao_matriculabolsa

*Leia atentamente todas as normas de matrícula antes de se inscrever. Clique aqui.
A matricula online não oferece desconto. A política de descontos só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.

 

SOBRE
Curso teórico-prático sobre a dinâmica da cor e sua quarta dimensão: o tempo. Serão analisadas algumas das teorias propostas por artistas desde Da Vinci até os dias de hoje, com ênfase nos estudos de José Maria Dias da Cruz sobre Cézanne. O curso tem como objetivo fazer o aluno pensar o uso da cor para além do círculo cromático tradicional newtoniano. Harmonia e ritmo da cor na criação de paletas.

CONTEÚDO
Os alunos entenderão porque dentro do cromatismo cezanneano não se utilizam nomenclaturas vinculadas ao círculo cromático tradicional, como cores primárias, secundárias, frias, quentes, pastéis, etc., para pensar o uso da cor. Como o fenômeno do rompimento do tom, tão explorado por Cézanne, confere a dimensão temporal ao estudo da cor. Pontos de convergência e divergência de teóricos e artistas como Da Vinci, Newton, Goethe, Albers, Klee, Israel Pedrosa e José Maria Dias da Cruz. Exercitar as dimensões da cor e conceitos como ritmo e harmonia na prática pictórica.

DINÂMICA
Aula expositiva em videoconferência; Exercícios semanais com acompanhamento coletivo em aula.

PÚBLICO
Indicado para pessoas interessadas em desenvolver processos artísticos e para pessoas com processos artísticos em andamento. Não exige conhecimentos prévios.

 

REFERÊNCIAS
ALBERS, Josef. A interação das cores. Martins Fontes, 2019
DIAS DA CRUZ, José Maria. O cromatismo cezanneano. Florianópolis. Ed. Do autor, 2010
DIAS DA CRUZ, José Maria. Da cor ao cinza.
GOETHE. Doutrina das cores. Ed. Nova Alexandria, 1993
PEDROSA, Israel. O Universo da cor. Rio de Janeiro: Senac Nacional, 2008. 160. P. II
PEDROSA, Israel. Da cor à cor inexistente. Rio de Janeiro. Leo Christiano Editorial Ltda, 1995

RECURSOS NECESSÁRIOS
Acesso à internet; Computador ou celular com câmera;
Cores de tinta acrílica (tubos pequenos de 20ml) : amarelo de cádmio claro, amarelo de cádmio escuro, amarelo ocre, verde permanente, violeta, sombra natural, terra de siena queimada, preto, branco, ultramar claro, vermelho cádmio, vermelho cádmio escuro, magenta, violeta , azul turquesa, azul ftalocianina e laranja;
4 pincéis (números 8 ou 10, cerda dura – pode ser o escolar de cabo amarelo amarelo);
1 bloco de desenho (quanto maior a gramatura melhor, porém fica mais caro. Sugiro pelo menos 150 g/m2 (gramatura);
Lápis (qualquer) e borracha.;
Potes ou descartáveis (caixa de ovo ou formas de gelo, por exemplo) para misturar a tinta e limpar os pincéis
*É possível comprar tubos ou potes de tinta maiores, só é um investimento maior e, para o curso, tubos pequenos de tinta são o suficiente.

SECRETARIA
Todos os cursos online e presenciais emitem certificados.

BERNARDO MAGINA
Artista e eventualmente curador. Nasceu em 1989, no Rio de Janeiro, onde vive. Mestre em Arte e Cultura Contemporânea pelo PPGARTES/ UERJ e graduado em Comunicação Social – Publicidade pela ECO/UFRJ. É professor dos cursos Pintura Além do Quadro, Cor e Forma, Dinâmica das Cores e Pintura Brasileira: lado B (este último em dupla com Clarissa Diniz) na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Foi assistente de ateliê de Orlando Mollica e, posteriormente, lecionou junto ao mestre no curso de Desenho Contemporâneo na mesma escola onde foi aluno de Evany Cardoso, Gianguido Bonfanti, Suzana Queiroga, João Goldberg, Marcelo Campos e foi monitor nos workshops de cor de José Maria Dias da Cruz. Trabalha com Desenho e Pintura e com suas possibilidades no campo expandido. Fundador e sócio do Studio Travellero onde se dedica a pinturas murais nas ruas e outros diálogos entre as cores e a arquitetura desde 2015.