EAV Parque Lage

FOTOGRAFIA ARTEVIDA: HISTÓRIAS E EXPERIÊNCIAS

Professor: SIMONE RODRIGUES

Curta duração
10 de agosto a 26 de outubro
Terças, de 19h às 21h
R$ 990,00 ou 3x de R$ 330,00

butao_matriculabutao_matriculabolsa

*Leia atentamente todas as normas de matrícula antes de se inscrever. Clique aqui.
A matricula online não oferece desconto. A política de descontos só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.

 

SOBRE 

O curso apresenta um panorama da história da fotografia, fornecendo um quadro de referências para pensar o fenômeno fotográfico na cultura visual e no sistema das artes na modernidade e pós-modernidade. Aborda a fotografia na pluralidade de suas manifestações estéticas e funções sociais – documental, expressiva, científica, experimental, construída, narrativa, conceitual, performática, tipológica, forma-tableau –, buscando analisar seus aspectos éticos e políticos. O curso também visa estimular e acompanhar os processos criativos dos participantes e as experimentações de linguagem no campo da fotografia, incluindo a fotografia híbrida e suas possíveis interações com outros meios. E por fim, propõe o desenvolvimento de projetos, buscando referenciá-los na história da arte e promovendo o diálogo com outros artistas, obras e questões contemporâneas.

CONTEÚDO

Este é um curso teórico-prático que aborda a fotografia como linguagem e instrumento de fabricação de conceitos e discursos. Longe de considerá-la como “meio específico”, a fotografia é aqui entendida como técnica-matriz das imagens-máquinas e, portanto, é chave para a compreensão dos processos de transformação do estatuto da imagem e dos processos de representação visual na história. Os potenciais do dispositivo fotográfico serão amplamente analisados através de artistas e obras que exploram seus recursos técnico-semióticos seja para reproduzir, seja para subverter os paradigmas da representação clássica: espaço-tempo, mimese-abstração, real-imagem, identidade-alteridade, sujeito-objeto, percepção-interpretação etc.
Discussão de teorias e filosofias da fotografia, através da leitura e discussão de textos selecionados de Benjamin, Sontag, Barthes, Flusser, Fried, Fontcuberta, entre outros. Usos e funções sociais da fotografia na sociedade moderna e contemporânea: os diferentes circuitos de inserção – documentação, comércio, ciência, arte, jornalismo, e suas respectivas éticas e estéticas. A fotografia como instrumento privilegiado das estratégias de aproximação entre arte e vida na arte contemporânea. As espirais do processo crescente de massificação. A ubiquidade da fotografia na cultura visual contemporânea, a fotografia vernacular e o desafio político da “alfabetização visual”.
Desenvolvimento de projetos em torno da fotografia (incluindo suas formas híbridas) a partir da produção de alunes e dos exercícios propostos pela professora.

DINÂMICA

Aula expositiva em videoconferência
Exercícios semanais com acompanhamento coletivo em aula
Compartilhamento de referências semanais com debates coletivos em aula

PÚBLICO

Indicado para pessoas interessadas em conhecer e/ou pesquisar o tema
Indicado para pessoas interessadas em desenvolver processos artísticos e para pessoas com processos artísticos em andamento

RECURSOS NECESSÁRIOS

Acesso à internet; Computador ou celular com câmera; Qualquer dispositivo fotográfico: câmera, celular etc.; Imagens fotográficas (digitais ou impressas) de autoria própria ou apropriada de arquivos/acervos de família, de terceiros, ou públicos.

SECRETARIA 

– Todos os cursos online e presenciais emitem certificados.

– A política de bolsas só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.

REFERÊNCIAS

BENJAMIN, Walter. Obras Escolhidas, vol.1: Magia e Técnica, Arte e Política. São Paulo, Brasiliense, 1994.
CAMPANY, David. Art and Photography. Phaidon Press, London, 2003.
FONTCUBERTA, Joan. A Câmera de Pandora – A fotografia depois da fotografia. Barcelona Editorial Gustavo Gili, 2010.
HALL, Stuart. Cultura e Representação. Rio de Janeiro: PUC-Rio: Apicuri, 2016.
MACHADO, Arlindo. A Ilusão Especular. São Paulo, Brasiliense, 1984.
WOOD, Paul. Arte Conceitual, São Paulo, Cosac & Naify, 2007.
SONTAG, Susan. Ensaios sobre fotografia. Rio de Janeiro, Arbor, 1981.
Sites:
www.ubu.com
tvbrasil.ebc.com.br/chamadas/episodio/fotografia-aliada-a-outras-artes-cacadores-da-alma
www.youtube.com/playlist?list=PLrCYQ8D20pTnsgoBUTazxIsldsGDRZhST
www.youtube.com/watch?v=9Tw0ORNAqr0
www.youtube.com/watch?v=joScwDo2sYc
www.youtube.com/watch?v=aSKHW-7FssY
vimeo.com/22536708
vimeo.com/ondemand/artesdafotografia
art21.org
art21.org/watch/william-kentridge-anything-is-possible/full-program-william-kentridge-anything-is-possible
www.icp.org/exhibitions
www.coursera.org/learn/photography#syllabus
museudafotografia.com.br/acervo
www.museum-ludwig.de/en/museum/collection/the-photography-collection-of-the-museum-ludwig.html

SIMONE RODRIGUES

Simone Rodrigues é artista visual, historiadora, editora e curadora independente, com formação em fotografia iniciada no Photoworks Westminster (Londres). É Mestre em História Social da Cultura (PUC-Rio). Trabalha há mais de 20 anos com organização de mostras audiovisuais, exposições e oficinas de arte e fotografia, com ênfase nas propostas coletivas, educativas e inclusivas. Foi cofundadora do Foto in Cena e do Ateliê da Imagem e coordenadora dos Encontros de Inclusão Visual do FOTO-Rio – Festival Internacional de Fotografia do Rio de Janeiro. Atualmente é professora na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Ateliê Oriente e A Casa Foto Arte, em programas teórico-práticos que visam o desenvolvimento de projetos pessoais dos participantes. Também é diretora na NAU Editora, onde coordena publicação de livros de arte e ciências humanas. Interessa-se especialmente pelos aspectos simbólicos da fotografia como linguagem, pela convergência que ela promove entre arte e documento e sua tendência à hibridização com outros meios, como objetos, vídeos e instalações. Particularmente, investiga questões de identidade, gênero, corpo e memória. Entre outros projetos, realizou a exposição e reedição de “A Pintura em Pânico”, obra de Jorge de Lima (1943), que foi a primeira publicação de fotomontagens no Brasil (Caixa, 2010). Lançou seu primeiro livro autoral em 2016, o projeto Nomes do Amor, com retratos e narrativas de casais LGBTQ+. Em 2019, este projeto integrou a exposição coletiva, “What is going on in Brazil?”, que fez parte da programação oficial da 50ª. edição comemorativa do festival “Rencontres Arles”, na França. Tem obras na Coleção Joaquim Paiva e participa da publicação “Fotografia Brasileira, das Origens ao Contemporâneo”, organizada por Angela Magalhães e Nadja Peregrino (Funarte, 2004).