EAV Parque Lage

Fotografia ArteVida: histórias e experiências

Fotografia ArteVida: histórias e experiências

Regina Silveira – Art cookie, 1976

Professora: Simone Rodrigues

Curta duração 2020.2
19 de agosto a 02 de dezembro
Quartas, de 19h às 21h
R$1320,00 ou 4x de R$330,00

botao_venda

*Leia atentamente todas as normas de matrícula antes de se inscrever. Clique aqui.
A matricula online não oferece desconto. A política de descontos só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.


HISTÓRIA DA FOTOGRAFIA, LINGUAGEM FOTOGRÁFICA, NARRATIVAS SUBJETIVAS, FOTOMONTAGEM, IMAGENS HÍBRIDAS, ANAMORFOSES, IDENTIDADE, CORPO, MEMÓRIA E IDENTIDADE

SOBRE
O curso vai realizar um passeio por temas da história da arte através da fotografia, ao mesmo tempo em que propõe exercícios criativos e acompanha a produção dxs alunxs. Busca se contrapor às tendências da banalização da imagem nas redes sociais (seja pelo excesso de exposição, seja pelo esvaziamento de seu significado na repetição dos clichês) para afirmar as potências da arte como pensamento e da vida como desejo.
Na linha de abordagem das “histórias” da fotografia, vai tratar dos usos e funções dessa arte-técnica nas sociedades moderna e contemporânea, verificando como suas práticas estiveram associadas ora à afirmação libertária da vida, ora às forças niilistas sob os ditames dos sistemas de representação opressores.
Paralelamente, no decorrer dos processos de experimentação criativa, as imagens fotográficas serão trabalhadas e questionadas em torno dos seguintes eixos temáticos: identidade, corpo, memória e identidade.

CONTEÚDO
Fotografia como linguagem: heranças e rupturas na história das artes visuais. Usos e funções sociais da fotografia na sociedade moderna e contemporânea: as diferentes práticas nos circuitos da arte, documentação, comércio, ciência e comunicação. O dispositivo fotográfico e seus potenciais de reinvenção dos paradigmas da representação: espaço-tempo, mimese-abstração, corpo-imagem, identidade-alteridade, percepção-interpretação etc. A fotografia como instrumento privilegiado das estratégias de aproximação entre arte e vida na arte contemporânea. As espirais do processo crescente de massificação. A ubiquidade da fotografia na cultura visual contemporânea, a fotografia vernacular e o desafio político da alfabetização visual “reclamados” por Benjamin e Moholy-Nagy. Desenvolvimento de projetos em torno da fotografia (incluindo suas formas híbridas) a partir da produção dxs alunxs e dos exercícios propostas pela professora.

DINÂMICA
Aula expositiva por videoconferência
Exercícios semanais com acompanhamento coletivo em aula.
Acompanhamentos individuais com debates coletivos em aula.
Compartilhamento de referências semanais com debates coletivos em aula

PÚBLICO
Indicado para pessoas interessadas em desenvolver processos artísticos em fotografia e pessoas com processos artísticos fotográficos em andamento.

REFERÊNCIAS

BENJAMIN, Walter. Obras Escolhidas, vol.1: Magia e Técnica, Arte e Política. São Paulo, Brasiliense, 1994.

CAMPANY, David. Art and Photography. Phaidon Press, London, 2003.

FONTCUBERTA, Joan. A Câmera de Pandora – A fotografia depois da fotografia. Barcelona Editorial Gustavo Gili, 2010.

HALL, Stuart. Cultura e Representação. Rio de Janeiro: PUC-Rio: Apicuri, 2016.

MACHADO, Arlindo. A Ilusão Especular. São Paulo, Brasiliense, 1984.

WOOD, Paul. Arte Conceitual, São Paulo, Cosac & Naify, 2007.

SONTAG, Susan. Ensaios sobre fotografia. Rio de Janeiro, Arbor, 1981.

SHORT, Maria. Contexto e narrativa em fotografia. Barcelona, Editorial Gustavo Gili, 2013.

RECURSOS NECESSÁRIOS
Acesso à internet
Computador ou celular com câmera
Qualquer dispositivo fotográfico: câmera, celular etc.
Imagens fotográficas (digitais e impressas) de autoria própria ou apropriadas de arquivos/acervos de família, de terceiros, ou públicos.
Lenço ou pedaço pequeno de tecido.
Agulha e linha de qualquer tipo.
HD ou placa-mãe velhos (sucata)
Papel comum, tesoura e cola.

SECRETARIA
– Todos os cursos online emitem certificado.
– A matrícula online não oferece desconto.
– A política de descontos só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.

SIMONE RODRIGUES
Artista visual, educadora e pesquisadora independente, com formação em fotografia (Photoworks Westminster, Londres) e História Social da Cultura (mestrado PUC-Rio). Trabalha há mais de 20 anos com organização de mostras audiovisuais, exposições e oficinas de arte e fotografia, com ênfase nas propostas coletivas, educativas e inclusivas. Foi cofundadora do Foto in Cena (mostra e produtora) e do Ateliê da Imagem (escola e espaço cultural) e coordenadora dos Encontros de Inclusão Visual do FOTO-Rio – Festival Internacional de Fotografia do Rio de Janeiro. Atualmente é professora na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, Ateliê Oriente e A Casa Foto Arte. É diretora na NAU Editora, onde coordena publicação de livros de arte e ciências humanas. Interessa-se especialmente pelos aspectos simbólicos da fotografia como linguagem, pela convergência que ela promove entre arte e documento e sua tendência à hibridização com outros meios, como objetos, vídeos e instalações. Investiga questões de identidade, gênero, corpo e memória. Entre outros projetos, realizou a exposição e reedição de “A Pintura em Pânico”, obra de Jorge de Lima (1943), que foi a primeira publicação de fotomontagens no Brasil (Caixa, 2010). Lançou seu primeiro livro autoral em 2016, o projeto Nomes do Amor, com retratos e narrativas de casais LGBTQ+. Em 2019, este projeto integrou a exposição coletiva, “What is going on in Brazil?”, que fez parte da programação oficial da 50ª. edição comemorativa do festival “Rencontres Arles”, na França. Tem obras na Coleção Joaquim Paiva e participou da publicação “Fotografia Brasileira, das Origens ao Contemporâneo”, organizada por ngela Magalhães e Nadja Peregrino (Funarte, 2004).
www.simonerodrigues.com.br
www.nomesdoamor.com
www.naueditora.com.br