Introdução à Imagem em Movimento

Introdução à Imagem em Movimento

Professor: Marcos Bonisson
curso de férias
11 de janeiro a 8 de fevereiro,
Quinta-feira, 19:00–22:00
R$ 380,00/mês

Público-alvo
A todos interessados, (sem pré-requisitos) em conhecer, refletir e trabalhar com imagens em movimento, a partir de dispositivos lenticulares, em campos diversos.

Objetivos
O curso visa apresentar um núcleo de conhecimento histórico e procedimentos utilizados por artistas brasileiros e internacionais que trabalham com imagens em movimento (videoarte, cinema de artista, media arts, etc.). A proposta desse curso introdutório é dar ciência aos participantes sobre as diferentes possibilidades do trabalho com imagem em movimento. Em sentido prático, as aulas objetivarão um trabalho de curta duração, para o final do curso, a partir de exercícios específicos, durante os quatro encontros propostos.

Conteúdo
Introdução ao cinema avant-garde da primeira metade do século XX, ao cinema de artista das décadas de 60 e 70, passando por trabalhos cruciais da videoarte, até a atualidade e seus suportes digitais. Desse modo, refletindo o abrangente escopo interdisciplinar de projetos e semânticas designadas na arte contemporânea, por imagem-movimento.

Dinâmica
A partir de pesquisa e vivências, os participantes serão orientados em vertentes históricas e as suas eventuais práticas experimentais com imagem em movimento, seus suportes de trabalho e procedimentos híbridos. A metodologia operada em aula (3 horas) terá dois tempos que se permeiam: projeção e apresentação de trabalhos seminais nesse campo de linguagem das artes, discussão sobre aspectos da produção atual da imagem-movimento e seus possíveis desdobramentos (as duas primeiras horas). A última hora do encontro será dedicada a análise dos eventuais exercícios e trabalhos, apresentados em aula pelos participantes do curso.

Bibliografia
DUBOIS, Philippe. Movimentos Improváveis: o efeito cinema na arte contemporânea. Organização: Ivana Bentes. Rio de Janeiro. Catálogo do Centro Cultural Banco do Brasil, 2003.
FLORES, Lívia. Como fazer cinema sem filmes ? Rio de Janeiro: Arte & Ensaios (15). EBA-UFRJ, 2007.
MACHADO, Arlindo. (org)  Made in Brasil. São Paulo: Iluminuras, 2007.
MACIEL, Kátia. Transcinemas. Rio de Janeiro: ContraCapa, 2009.
PARENTE, André. Cinema em trânsito: cinema, arte contemporânea e novas mídias. Rio de Janeiro: Beco do Azougue, 2012.

Apresentação de trabalhos selecionados dos seguintes artistas:
Hans Richter, Man Ray, Marcel Duchamp, Sergei Eisentein, Dziga Vertov, Fernand Léger, Maya Deren, Stan Brackhage, Jonas Mekas, Kenneth Anger, Jack Smith, Andy Warhol, Jean-Luc Goddard, Chris Marker, Robert Smithson, Nancy Holt, Vito Acconci, Chris Burden, Gordon Matta-Clark, Bas Jan Ader, Valie Export, Marina Abramovic, Beuys, Ana Medieta, Carolee Schneemann, Bruce Nauman, Nam June Paik, Gary Hill, Bill Viola, Hélio Oiticica, Artur Barrio, Lygia Pape, Antonio Manuel, Artur Omar, Miguel Rio Branco, Antonio Dias, Dan Graham, Peter Greenway, Doug Aitken, Sam Taylor-Wood, Pipilotti Risti, Shirin Neshtat, Cao Guimarães, Miguel Angel Ríos, Superflex, entre outros.

Marcos Bonisson é artista e Mestre em Estudos Contemporâneos das Artes (UFF). Nasceu e trabalha na cidade do Rio de Janeiro. É graduado em Letras (UESA) e Pós-graduado em Arte e Cultura (UCAM). Estudou gravura, desenho e fotografia na EAV Parque Lage (1978-1981). Começou a trabalhar com fotografia e filme Super 8 no final da década de setenta e com vídeo nos anos oitenta. Participou da 27ª Bienal Internacional de São Paulo em 2006. Publicou o livro Arpoador (Nau, 2011) e o livro Pulsar (Binóculo, 2013). É professor de artes do Iuperj/Ucam e do Ateliê Oriente. Suas mais recentes exposições individuais foram Pulsar no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM), em outubro de 2013 e Arpoador na Maison Européenne de la Photographie (MEP- Paris) em junho de 2015.