EAV Parque Lage

LABORATÓRIO DE PESQUISA E PRÁTICA DE ESCRITA EM ARTE

Professor: FERNANDA LOPES

Cursos semestrais

04 de agosto a 24 de novembro. Quartas, de 19 às 21h
R$ 1.520,00 ou 4x de R$ 380,00

butao_matriculabutao_matriculabolsa

*Leia atentamente todas as normas de matrícula antes de se inscrever. Clique aqui.
A matricula online não oferece desconto. A política de descontos só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.

SOBRE
O uso da palavra, e como consequência a escrita, é historicamente um dos elementos-base da prática da crítica de arte. Hoje, essa prática se tornou mais ampla e mais complexa e, como consequência, o papel e a diversidade de textos produzidos também acabaram ganhando nova dimensão. Em uma exposição existem, frequentemente, textos de parede (institucional, curatorial e auxiliares), folder, catálogo, e as legendas das obras. Há ainda todo conteúdo gerado para diferentes plataformas na internet (não só no caso de exposições, mas também fundações gestoras da produção de artistas e instituições públicas ou privadas), material de divulgação para imprensa e a produção de textos críticos a partir de uma programação cultural para veículos impressos e digitais. Cada um desses textos corresponde a diferentes propósitos e públicos.

Tendo essa variedade em vista, este curso pretende discutir cada um desses formatos, considerando o contexto em que cada um deles é veiculado e os públicos-alvo aos quais eles se destinam. Essas discussões vão se dar coletivamente e não só de maneira teórica (compartilhando referências de diferentes autores), mas também estimulando a prática da escrita, tendo como principal caminho a produção e leitura comentada desses diferentes textos pelos próprios alunos.

CONTEÚDO
Crítica de arte e a palavra | introdução
Nesta aula, será apresentada uma introdução sobre a formação e a prática da crítica de arte ao longo da história da arte, considerando especialmente momentos onde essa prática passou por mudanças e questionamentos. Também será discutida a crítica de arte atualmente, sua relação com a produção escrita, além das funções e tipologias de textos utilizados hoje.

Exercício 1 – Texto curatorial para exposição
No primeiro exercício serão estudados os diferentes textos curatoriais em uma exposição, especificando suas funções e características principais. A discussão terá como estudos de caso exemplos de diferentes autorias ao longo da história, e a leitura dos textos produzidos pelos alunos.

Exercício 2 – Textos auxiliares e legendas para exposição
O segundo exercício dará destaque para a utilização de textos auxiliares e formatação de legendas em uma exposição. A discussão terá como estudos de caso exemplos de diferentes autorias ao longo da história, e a leitura dos textos produzidos pelos alunos.

Exercício 3 – Texto folder e catálogo
Neste exercício será trabalhado a estruturação de textos para folder e catálogo de exposição considerando aprofundamentos e desdobramentos possíveis em diálogo com as exposições aos quais se referem. A discussão terá como estudos de caso exemplos de diferentes autorias ao longo da história, e a leitura dos textos produzidos pelos alunos.

Exercício 4 – Release para imprensa
Para o quarto exercício serão vistas as principais características de um release para imprensa, utilizado na divulgação de exposições e outros eventos em uma instituição cultural. A discussão terá como estudos de caso exemplos de diferentes autorias ao longo da história, e a leitura dos textos produzidos pelos alunos.

Exercício 5 – Crítica de exposição
O último exercício vai tratar da produção de um texto crítico, em análise ou a partir de uma exposição ou outro evento em uma instituição cultural. A discussão terá como estudos de caso exemplos de diferentes autorias ao longo da história, e a leitura dos textos produzidos pelos alunos.
DINÂMICA
Aula expositiva em videoconferência
Exercícios semanais com acompanhamento coletivo em aula

PÚBLICO
Indicado para pessoas interessadas em conhecer e/ou pesquisar o tema
Indicado para pessoas interessadas em desenvolver processos artísticos e para pessoas com processos artísticos em andamento
Não exige conhecimentos prévios

REFERÊNCIAS

ARGAN, Giulio Carlo. Arte e Crítica de Arte. Portugal: Estampa, 1995

FABRIS, Annateresa & GONÇALVES, Lisbeth Rebollo (org). Os lugares da crítica de arte. São Paulo: ABCA: Imprensa Oficial do Estado, 2005.

FERREIRA, Gloria (Org). Crítica de Arte no Brasil: Temáticas Contemporâneas. Rio de Janeiro: Funarte, 2006.

FERREIRA, Gloria & PESSOA, Fernando (org). Crítica e Criação – Seminários Internacionais Museu Vale do Rio Doce. Vila Velha: Associação Museu Ferroviário Vale do Rio Doce, 2006.

MARTINS, Maria Helena (org). Rumos da Crítica. São Paulo: Itaú Cultural, 2000.OSÓRIO, Luiz Camillo. Razões da Crítica. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005. (Coleção Arte +)

SALZSTEIN, Sonia. “Transformações na esfera da crítica”. In: Revista Ars 1. São Paulo: ECA- USP, 2003

VASARI, Giorgio. Vidas dos artistas. São Paulo: Martins Fontes, 2011. VENTURI, Lionello. História da Crítica de Arte. Lisboa: Edições 70, 2007.

RECURSOS NECESSÁRIOS
Acesso à internet
Computador ou celular com câmera

SECRETARIA
– Todos os cursos online e presenciais emitem certificados.
– A política de bolsas só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.

FERNANDA LOPES
Fernanda Lopes é crítica de arte e pesquisadora. Doutora em história e crítica de arte pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), é professora da Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Publicou os livros Francisco Bittencourt: Arte-Dinamite (2016), Área Experimental: Lugar, Espaço e Dimensão do Experimental na Arte Brasileira dos Anos 1970 (2012) e Éramos o time do Rei – A Experiência Rex (2006). Foi curadora assistente do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (2016-2020) e curadora associada em artes visuais do Centro Cultural São Paulo (2010-2012). Em 2017 recebeu, com Fernando Cocchiarale, prêmio da Associação Brasileira dos Críticos de Arte pela curadoria da exposição Em Polvorosa – Um panorama das coleções MAM-Rio (2016).