Projeto de pesquisa Hospedando Lélia Gonzalez (1935-1994)

Projeto de pesquisa Hospedando Lélia Gonzalez (1935-1994)

Colagem feita com imagem da Aline Besouro e foto da Lélia Gonzalez do Januário Garcia


Projeto de pesquisa “Hospedando Lélia Gonzalez (1935-1994)”

Março a Julho de 2019
Com encontros públicos nos dias 20/03, 17/04, 15/05, 19/06 e 10/07

Biblioteca | Centro de Documentação e Pesquisa, EAV Parque Lage
Gratuito – Aberto ao público

Em 1976, Lélia Gonzalez (1935-1994) iniciou o primeiro curso de cultura negra na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. O curso teve como foco a presença de artistas negros na arte brasileira e na cultura popular, trazendo questões de linguagem, religião, identidade e exclusão. Lélia Gonzalez foi antropóloga, professora de cultura Brasileira na PUC-RJ, política e defensora dos direitos humanos. Lélia era um símbolo muito importante para o movimento negro no Brasil, que publicou inúmeros artigos, dois livros, e ajudou a fundar instituições como o Movimento Negro Unificado (MNU), o Instituto de Pesquisas das Culturas Negras (IPCN), o Coletivo de Mulheres Negras N’Zinga e o Olodum.

O projeto “Hospedando Lélia Gonzalez” visa dar atenção a esta figura e seu legado, pesquisando seu trabalho e idéias em relação à história da escola e seus investimentos no presente.

“Hospedando Lélia Gonzalez” continua até julho 2019 com os seguintes componentes:
– Exposição na biblioteca com materiais da Memória Lage (acervo da escola) e o acervo da Lélia Gonzalez, e contribuições dos artistas contemporâneos Aline Besouro, Millena Lízia e Yhuri Cruz.
– Encontros mensais (nos dias 20/03, 17/04, 15/05, 12/06 e 10/07) para aprofundar a pesquisa com convidados.
– Estante com novos livros da biblioteca sobre artistas negras, com foco na mulheres e questões raciais – uma iniciativa das bibliotecárias.
– Uma pasta com linha do tempo, textos escrito pela Lélia Gonzalez, e materiais encontrados durante a pesquisa.

A escola também oferece o curso intensivo “Lélia A. Gonzalez, uma pensadora negra e feminista” da professora Raquel Barreto
nas quintas-feiras de 04 de abril a 30 de maio.

Agradecimento especial para Rubens Rufino, da Redeh (Rede de Desenvolvimento Humano), os artistas envolvidos e todos que contribuíram com o projeto.

Conheça também o programa de performances da Biblioteca | Centro de Documentação e Pesquisa da EAV Parque Lage: “Um berro, um sussurro”.


Segundo encontro do “Hospedando Lélia Gonzalez (1935-1994)”
Quarta . 17 Abril . 19:00

Com participação de Aline Valentim
Aberto ao público
Biblioteca | Centro de Documentação e Pesquisa, EAV Parque Lage

Nesse encontro, entramos na pesquisa por uma discussão coletiva de um dos textos mais conhecidos de Gonzalez, “Racismo e Sexismo na cultura brasileira”, originalmente palestra do 1980. Os participantes são convidados a ler o texto antecipadamente e trazer comentários e pensamentos para contribuir para uma conversa aberta. Após a discussão, haverá uma breve introdução à dança afro-brasileira, liderada por Aline Valentim, que trará exercícios simples em grupo.

Este encontro combina uma abordagem discursiva e corpórea para explorar o legado de Lélia Gonzalez, ex-professora do Parque Lage que ministrou um curso de cultura negra e também introduziu diversas iniciativas para a escola como capoeira, dança afro-brasileira e apresentações de candomblé.

Aline Valentim
é referência em dança afro-brasileira e danças populares (Maracatu, Coco, Ciranda, Afoxé, Jongo…) com 20 anos de experiência no grupo Rio Maracatu e a 12 anos com sua Cia de Dança Afro, Babalakina. Ela se aproximou desses danças em busca de maior vínculo com expressões da cultura negra, ao qual ela também leva uma carga política.

Lista de leitura:
Lélia Gonzalez,“Racismo e Sexismo na cultura brasileira”, 1980.
Lélia Gonzalez, “Lélia fala da Lélia”, 1994. (Um introdução para quem quer saber mais sobre sua trajetória).


Abertura do “Hospedando Lélia Gonzalez (1935-1994)”
Quarta . 20 Março . 19:00

Com participação de Raquel Barreto e Ana Maria Felippe
Biblioteca | Centro de Documentação e Pesquisa, EAV Parque Lage

Roda de conversa para abrir o projeto “Hospedando”, com contribuições de Raquel Barreto (professora do curso “Lélia A. Gonzalez, uma pensadora negra e feminista” na EAV Parque Lage) Ana Maria Felippe (filósofa e amiga da Lélia Gonzalez), Tanja Baudoin (curadora da biblioteca da EAV), Rubia da Silva (bibliotecária da EAV) e Ulisses Carrilho (curador do EAV).

Em 1976, Lélia Gonzalez (1935-1994) iniciou o primeiro curso de cultura negra na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. O projeto “Hospedando Lélia Gonzalez” propõe “hospedar” a Lélia Gonzalez em nosso meio durante o primeiro semestre de 2019, durante a pesquisa está compartilhada e contribuída pelos bibliotecárias, alunos, o público, etc. O foco do programa está em aproximar-se de pesquisas e idéias da Lélia Gonzalez, e em pensar sobre seu legado em relação às lutas atuais.

A apresentação dentro da biblioteca inclui materiais arquivísticos, livros sobre assuntos raciais, e contribuições dos artistas contemporâneos Aline Besouro, Millena Lízia e Yhuri Cruz.