Projeto de pesquisa Hospedando Lélia Gonzalez (1935-1994)

Projeto de pesquisa Hospedando Lélia Gonzalez (1935-1994)

Colagem feita com imagem ‘Boca semente’ (2019) da Aline Besouro e foto da Lélia Gonzalez do Januário Garcia


Projeto de pesquisa “Hospedando Lélia Gonzalez (1935-1994)”

Março a Julho de 2019
Com encontros públicos nos dias 20/03, 17/04, 15/05, 12/06 e 10/07

Local: Biblioteca | Centro de Documentação e Pesquisa, EAV Parque Lage
Gratuito – Aberto ao público

Em 1976, Lélia Gonzalez (1935-1994) iniciou o primeiro curso de cultura negra na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. O curso teve como foco a presença de artistas negros na arte brasileira e na cultura popular, trazendo questões de linguagem, religião, identidade e exclusão. Lélia Gonzalez foi antropóloga, professora de cultura Brasileira na PUC-RJ, política e defensora dos direitos humanos. Lélia era um símbolo muito importante para o movimento negro no Brasil, que publicou inúmeros artigos, dois livros, e ajudou a fundar instituições como o Movimento Negro Unificado (MNU), o Instituto de Pesquisas das Culturas Negras (IPCN), o Coletivo de Mulheres Negras N’Zinga e o Olodum.

O projeto “Hospedando Lélia Gonzalez” visa dar atenção a esta figura e seu legado, pesquisando seu trabalho e idéias em relação à história da escola e seus investimentos no presente.

“Hospedando Lélia Gonzalez” continua até julho 2019 com os seguintes componentes:
– Exposição na biblioteca com materiais da Memória Lage (acervo da escola) e o acervo da Lélia Gonzalez, e contribuições dos artistas contemporâneos Aline Besouro, Millena Lízia e Yhuri Cruz.
– Encontros mensais (nos dias 20/03, 17/04, 15/05, 12/06 e 10/07) para aprofundar a pesquisa com convidados.
– Estante com novos livros da biblioteca sobre artistas negras, com foco na mulheres e questões raciais – uma iniciativa das bibliotecárias.
– Uma pasta com linha do tempo, textos escrito pela Lélia Gonzalez, e materiais encontrados durante a pesquisa.

A escola também oferece o curso “Lélia A. Gonzalez, uma pensadora negra e feminista” da professora Raquel Barreto
nas quintas-feiras de 14 de março até 27 de junho.

Agradecimento especial para Rubens Rufino, da Redeh (Rede de Desenvolvimento Humano), os artistas envolvidos e todos que contribuíram com o projeto.


Abertura do “Hospedando Lélia Gonzalez (1935-1994)”
Quarta . 20 Março . 19:00

Com participação de Raquel Barreto e Ana Maria Felippe
Local: Biblioteca | Centro de Documentação e Pesquisa, EAV Parque Lage

Roda de conversa para abrir o projeto “Hospedando”, com contribuições de Raquel Barreto (professora do curso “Lélia A. Gonzalez, uma pensadora negra e feminista” na EAV Parque Lage) Ana Maria Felippe (filósofa e amiga da Lélia Gonzalez), Tanja Baudoin (curadora da biblioteca da EAV), Rubia da Silva (bibliotecária da EAV) e Ulisses Carrilho (curador do EAV).

Em 1976, Lélia Gonzalez (1935-1994) iniciou o primeiro curso de cultura negra na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. O projeto “Hospedando Lélia Gonzalez” propõe “hospedar” a Lélia Gonzalez em nosso meio durante o primeiro semestre de 2019, durante a pesquisa está compartilhada e contribuída pelos bibliotecárias, alunos, o público, etc. O foco do programa está em aproximar-se de pesquisas e idéias da Lélia Gonzalez, e em pensar sobre seu legado em relação às lutas atuais.

A apresentação dentro da biblioteca inclui materiais arquivísticos, livros sobre assuntos raciais, e contribuições dos artistas contemporâneos Aline Besouro, Millena Lízia e Yhuri Cruz.