O Desenho na Arte Contemporânea - Das Vanguardas Artísticas à Contemporaneidade

O Desenho na Arte Contemporânea - Das Vanguardas Artísticas à Contemporaneidade

Cy Twombly – Silex scintillans (1981)

Professor: Valerio Ricci Montani

2º semestre
27 de agosto a 17 de dezembro
Quinta-feira, 14:00–17:00
R$ 380,00/mês

O curso propõe analisar a técnica do desenho nas principais manifestações artísticas do século XX e da arte contemporânea, tendo como premissa a ruptura definitiva com a tradição acadêmica e a renovação do conceito do fazer artístico das vanguardas. Por meio de aulas teóricas e práticas, será proposto desenvolver projetos individuais a partir do trabalho de artistas como Pablo Picasso, Henri Matisse, John Heartfield, Mimmo Rotella, David Hockney, Kiki Smith (Colagem), Guillame Apollinaire, Mira Schendel, Bruce Nauman, Barbara Kruger, Alighiero Boetti (Palavra, Poesia Visual), Max Ernest, Masao Okabe, Do Ho Suh (Surrealismo, Frottage), Kandinskij, Klee, Mirò, Masson (Abstracionismo), Cy Twombly, Ad Reinhardt, Frank Stella, Agnes Martin, Carl Andre, Sol LeWitt, Robert Morris, Olafur Eliasson (Arte como Processo, Post-Minimal), entres outros.

Introdução
No século XX as vanguardas artísticas mudam consideravelmente o conceito de arte, criando uma ruptura definitiva com a tradição acadêmica do século anterior. A partir do ‘900 novos fermentos culturais e filosóficos, junto com o desenvolvimento de formas de reprodução de imagens até esse momento inéditas (fotografia e cinema), permitem à arte a exploração de novos territórios, abandonando a função de representação fiel da realidade (mimesis). O interesse dos artistas muda em direção de outras realidades interiores, onde a sensibilidade tem plena autonomia expressiva. As pesquisas artísticas desenvolvem novas técnicas e poéticas,  que darão vida a fenômenos como o expressionismo, cubismo, surrealismo etc.. até a arte contemporânea.
Nesse contexto o desenho também assume uma identidade autônoma e, além da sua originaria função de reprodução naturalística ou de fase projetual do trabalho, se legitima como técnica própria. O desenho adquire as características de uma linguagem expressiva independente e separada das outras artes, torna-se lugar de pensamento poético e território de ideias para os artistas que exploram novas pesquisas.ObjetivosAdquirir noções históricas artísticas no âmbito dos movimentos da arte moderna e contemporânea. Reconhecer estilos e técnicas dos artistas apresentados. Adquirir noções técnicas e desenvolver uma capacidade critica em relação à disciplina do desenho. Desenvolver a própria linguagem e realizar um projeto individual.

Conteúdo – A linguagem verbal no desenho: Poesia Visual
Guillame Apollinaire (Calligrammes). Origens históricas dos Caligramas: os Carmina Figurata (Paignon), Verus intexti: Pubilio Porfirio, Liber de Laudibus Sancte Crucis: Rabano Mauro, outros exemplos de Caligramas entres idade media e modernidade. A contemporaneidade, do ‘900 aos nossos dias: Filippo T. Marinetti, os Dadà, Paul Klee, exercícios de Caviardarge, Alighiero Boetti, Bruce Nauman, Emilio Isgrò, Thomas Broom, Mira Schendel, Barbara Kruger, Jenny Holzer e outros contemporâneos.

Desenho e Frottage
Max Ernest, Breton e os  Cadavre Exquis (Surealismo). Alguns exemplos na contemporaneidade a partir da exposição Apparitions: Frottages and Rubbings from 1860 to Now: Roy Lichtenstein, Glenn Ligon, Adriena Šimotová, Do Ho Suh, Caitlin Reilly, Masao Okabe, Baldo Diodato.

Desenho abstrato
Piet Mondrian, O Abstracionismo lírico de Wassily Kandinsky (Do Espiritual na Arte e Ponto Linha Plano) Paul Klee, Joan Miró, Andre Masson (Surealismo), Jackson Pollock: Action Painting, Expressionismo Abstrato, Franz Kline, Il lee, Yagiashi, Cy Tombly.

Desenho e colagem
As representações botânicas de Mary Delany, os foto-montagens de albuns fotográficos da época vitoriana (Memorabilia), Pablo Picasso, George Braque, John Heartfield, George Grosz, Hannah Höch, Johannes Theodor Baargeld, os Cubomania, Jiří Kolář, Henri Matisse (Decoupage), de-collage do Nouveau Réalisme (Raymond Hains e Mimmo Rotella), Richard Hamilton e a British Pop Art, Jim Dine, David Hockney, Vik Muniz, Damien Hirst, Garrett Pruter.

Desenho como processo: Minimal Art e Post-Minimal
Ad Reinhardt, Frank Stella, Agnes Martin, Carl André, Sol LeWitt, Robert Morris (Blind Time Drawings), Alighiero Boetti, Olafur Eliasson, Nicole Phungrasamee Fein, Jill O’Bryan, Christine Hiebert, William Anastasi

Desenho na sociedade do consumo: Pop Art

Independent Group: Eduardo Paolozzi, Richard Hamilton, Estados Unidos: Jasper Johns, Robert Rauschenberg, Roy Lichtenstein, Tom Wesselmann, James Rosenquist, Charles Oldenburg, Ed (Edward) Ruscha (Gun Powder Drawings), Phillip Hefferton and Robert Dowd (Money Paintings), Andy Warhol, Keith Haring, Raymond Hains e Mimmo Rotella (Nouveau Réalisme ), Mario Schifano.

Metodologia
O curso é constituído em módulos divididos em aulas teóricas e práticas. No conteúdo teórico serão analisadas as obras, as técnicas e o contexto histórico-cultural dos artistas escolhidos, com o auxilio de projeções de imagens e vídeos. As aulas praticas serão estruturadas como um laboratório/workshop, no qual os alunos desenvolvem projetos individuais, experimentando as técnicas e os métodos apresentados.

Público Alvo
Estudantes e interessados em aprofundar a pratica do desenho na arte moderna e contemporânea. Não é indispensável ter habilidades ou conhecimentos prévios com a técnica do desenho.

Valerio Ricci Montani (Campiglia Marittima, Itália, 1976), vive e trabalha no Rio de Janeiro. E’ graduado e pós-graduado em Artes Visuais na Accademia di Belle Arti di Frosinone e di Roma, Itália. Foi residente no Mongin Artist in Residence Program em Seoul em 2011 e na HSF – Harlem Studio Fellowship em Nova York em 2009. Suas principais exposições foram: Novas Aquisições, Coleção Gilberto Chateaubriand (MAM Rio de Janeiro, 2014), Ausência Aguda Presença, texto de Gloria Ferreira (Sesc Copacabana, Rio de Janeiro, 2013), Colata Band! (CIAC, Genazzano, 2011), 54. Bienal de Veneza (Padiglione Italia della Biennale di Venezia, 2011), Mongin Open Studio 2011 (Mongin Art Center, Soul, 2011), Sŏul 서울 (MLAC, Roma, 2011), Italian Artists New York (ISCP International Studio & Curatorial Program, New York, 2009). Sua obras estão presentes nas coleções de Gilberto Chateaubriand, MAM – Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro; Collezione Musumeci Greco, Roma; Nomas Foundation, Roma.