O Processo Criativo

O Processo Criativo

Professor: Charles Watson

1º semestre
06 de março a 14 de junho
Segunda e quarta das 19h30 às 21h30
R$ 690,00/mês
2º semestre
14 de agosto a 13 de dezembro
Segunda e quarta das 19h30 às 21h30
R$ 690,00/mês
 

A primeira aula será uma palestra introdutória aberta a todos os interessados.

Criatividade não se trata de pílula mágica ou de “baixar o santo”. Ao contrário do que o senso comum sugere, a criatividade não é uma qualidade livre e autônoma, que pode ser dissociada do envolvimento verticalizado com uma atividade ou linguagem específica. Quem não investe não lucra ou, como diz o escritor Robert Heinlein, “Não há boca livre no universo”.

Assim sendo,”estratégias” ou “técnicas” criativas só se tornam viáveis/eficazes na presença de forte comprometimento ao longo de um tempo mínimo necessário para internalizar as regras do jogo. Alcançar o desempenho criativo em seu nível máximo requer, além de tempo de investimento, paixão, curiosidade, persistência, tolerância a ambiguidades e coragem para aceitar que muitos erros virão pela frente – erros não são apenas permitidos, são uma pré-condição para criação.

Desenhado para grupos multidisciplinares, para todos que se interessam pelo processo de inovação e para quem a geração de novas ideias é fundamental, O Processo Criativo consiste em uma série de palestras escolhidas a partir de um repertório de 42 temas envolvidos nessa pesquisa – esta escolha será efetuada de acordo com as particularidades da composição de cada grupo.

Metodologia
Com uma abordagem instigante, o workshop aponta os mais diversos fatores que fazem a diferença para um desempenho criativo otimizado. Amplamente ilustradas com textos, vídeos e exercícios, e usando fontes das mais diversas disciplinas, as palestras demonstram que a semelhança entre as dinâmicas criativas supera a diferença entre as linguagens. Entendendo os mecanismos que limitam a criatividade, podemos desenvolver estratégias que, ludicamente, contornam essas limitações.

1. CRIATIVIDADE DEFINIÇÃO: (Convergente / Divergente)
2. CRIATIVIDADE E LIMITES: (Necessidade de Restrição)
3. O MENTOR: (Ombros de Gigantes)
4. PAIXÃO, MOTIVAÇÃO INTRÍNSECA: (Sol na Barriga)
5. TALENTO / TRABALHO INTENSO
6. A REGRA DE 10: (10 anos / 10.000 horas)
7. UM LEÃO POR DIA: (Prática Deliberada)
8. PROCESSO PURO: (O melhor Lugar no Mundo / Síndrome do Segundo Produto)
9. CURIOSIDADE: (Mistério e Espanto)
10. PERSISTÊNCIA: (Penso, logo desisto)
11. A PLATEIA: (Um mal necessário?)
12. ABDICAÇÃO DO “EU”: (Flow)
13. ENGENHARIA DO ERRO: (Risco, Erro, Medo de Errar)
14. DINHEIRO, SUCESSO, ÉTICA CRIATIVA: (Sucesso como Fracasso) 15. THE IRIDIUM ANOMALY: (Evolução como Metáfora, Exaptação, Etapas Incipientes de Estruturas Úteis)
16. SISTEMAS COMPLEXOS ADAPTÁVEIS: (Top Down / Bottom Up, Hofstadter, Mitchel, Holland, Kauffman)
17. PADRÕES DE SUCCESSOS PASSADOS: (Experiência é Traiçoeira)
18. SÍNDROME DO SEGUNDO PRODUTO: (Successo como Fracasso)
19. ROBUSTEZ / RESILIÊNCIA: (O declínio de um Paradigma / Adaptabilidade Organizacional Sustentada)
20. SERENDIPITY, CHANCE, EXAPTAÇÃO: (a Necessidade do Acaso e o Sistema) 21. OLHAR DO OUTRO: (Efeito Einstellung, Functional Fixedness, Barreiras Cognitivas)
22. O ORÁCULO: (Em busca da Informação Perdida)
23. ASSOVIANDO e CHUPANDO CANA: (Multidisciplinaridade ou Dispersão)
24. GERAÇÃO DE ALTERNATIVAS
25. A EXCEÇÃO É A REGRA: (Inserção do Anárquico no Sistema)
26. NOVOS MODELOS PARA GESTÃO:
27. PEDÁGIO DE PENSAMENTO: (a Transfiguração do Lugar Comum)
28. INDIZIBILIDADE: (Palavras e Coisas: pensando para falar / falando para pensar) 29. CIRCULARIDADE, LOOPING, SISTEMAS AUTO REFERENTES
30. FRAGMENTAÇÃO
31. INVERSÃO
32. ANALOGIA / METÁFORA: (Construção da Metáfora)
33. SATURAÇÃO: (Máximo de Esforço para o Mínimo de Resultado)
34. ENTRE DUAS CATEGORIAS: (o Espaço entre as Coisas)
35. IMPROVIZACÃO
36. MUDANÇAS NO TECIDO
37. VISUALIZAÇÃO: (Visual Thinking)
40. THINKING: (Mind Flying)
41. SEEING: (Drawing – thought with a tail)
42. DOING: (Physical Thinking – model-making)

Charles Watson
Formado pela Bath Academy of Art, Inglaterra. É professor da EAV Parque Lage, onde foi vice-presidente, participante do conselho de direção e coordenador do núcleo de pintura. Dirigiu o Prêmio Johnnie Walker de Arte Contemporânea e foi diretor no Centro de Arte Hélio Oiticica – RJ. Foi avaliador de portfólios para Universidade das Artes de Londres (Central St. Martins, Camberwell, Chelsea, London School of Fashion, London School of Design). Instrutor e palestrante sobre O Processo Criativo para diversas empresas e instituições, incluindo Globo, Natura,Ipiranga, Dow Chemical Brasil e Vale do Rio Doce. Idealizador e diretor do projeto Dynamic Encounters International Art Workshops.

Regulamento de bolsas ➝