EXPERIMENTAÇÃO SONORA E PRODUÇÃO DE INSTRUMENTOS

EXPERIMENTAÇÃO SONORA E PRODUÇÃO DE INSTRUMENTOS

Foto: Luana Moura

EXPERIMENTAÇÃO SONORA E PRODUÇÃO DE INSTRUMENTOS [arte em família]
Sábado, 03 de agosto, 10:30-12:30
Professores: Rodrigo Maré e Roberto França
Idade: 6 a 12 anos

Os cursos do arte em família são gratuitos.
A programação é destinada a crianças acompanhadas de seus familiares, incentivando a imaginação coletiva e a participação da família nas escolas.

RESERVAS:parquinho.eavparquelage@gmail.com
Até sexta-feira, às 16h.
Caso o participante não esteja presente 30 minutos antes do início da aula, a reserva será liberada para lista de espera. Sujeito a lotação.

INSCRIÇÕES NO DIA DA ATIVIDADE:
Secretaria da EAV Parque Lage

Sobre o curso
A atividade propõe reflexões sobre ritmos populares como o samba, funk, maracatu, coco, com o objetivo de trazer a importância dessas manifestações na construção do que entendemos hoje como cultura afro-brasileira e indígena. Confeccionamos e experimentamos instrumentos de percussão a partir de objetos trazidos de casa pelos participantes: objetos que emitam sons escolhidos pelas crianças e suas famílias. Dentro de um contexto de pesquisa aberta e continuada, possibilitamos a integração de todos os participantes na atividade, geramos um espaço de troca e encontro entre pessoas de diferentes idades e lugares da cidade.

A oficina acontece em 4 momentos:
1 – Apreciação e sensibilização
2 – Desdobrando as sensações (roda de conversa e produção de imagens)
3 – Mãos à obra
4 – Experimentações sonoras e rítmicas

Objetos que emitam som (sugestões)
– Garrafas pets de 3 lts
– Garrafas de suco (vidro maguary e similares)
– Garrafinha de 150ml
– Tampinhas de garrafa de plásticos
– Cabos de vassoura
– Chapa de raio x
– Chaves velha
– Tampinhas de garrafa (o máximo que conseguir)
– Lata de leite vazia
– Palitos de churrasco

E tudo quanto é objeto que emita som e que você queira trazer para a nossa experimentação.

Professores

Rodrigo Maré, Rio de Janeiro. Vive no Rio de Janeiro. Músico percussionista, ator e arte-educador. Integra atualmente o grupo teatral Cia Marginal e a banda instrumental Zé Bigode Orquestra. Nos últimos anos, atuou e executou a trilha sonora em uma série de espetáculos teatrais, entre eles os espetáculos da Cia Marginal, com direção de Isabel Penoni e da CÍA DOS PRAZERES, com direção de Lucas Weglinsk. Já se apresentou em teatros, e festivais em São Paulo, Curitiba, Nova Olinda, João Pessoa, Florianópolis, Brasília, Salvador, Rio Branco, e em Portugal, nas cidades do Porto e Lisboa. Como músico percussionista vem participando de shows de artistas, grupos e bandas como, Gilberto Gil (Refavela40), TRAMUNDO, Clara Anastácia, Thiago França (Coisas Invisíveis), Céu (Catch a Fire), Ava Rocha (Trança), entre outros. Em 2015 criou o projeto Panderolando Maré, de arte educação musical, que visa desenvolver atividades artísticas dentro do complexo da maré e por outros espaços da cidade, tendo a troca de experiências e a circularidade como principal eixo metodológico.

Roberto França, Rio de Janeiro. Vive no Rio de Janeiro. Músico instrumentista, cantor, arte-educador, integrou a diversos corais do Rio de Janeiro, foi membro da Ass. de Canto Coral do Rio de Janeiro e do Coral da Pro Arte onde atuou como solista, estudou canto lírico e Licenciatura em Musica na UFRJ. Realiza projetos artísticos a mais de 15 anos na Maré, tendo contribuído na formação musical de jovens e seu ingresso no mercado de trabalho. Criou a Orquestra de Flautas da Maré onde se apresentou em diversos espaços culturais do Rio de Janeiro, tendo gravado um cd em 2004. Seu trabalho sempre tem como objetivo valorizar e estimular a cultura popular brasileira em suas diversas manifestações em nosso país. Como um educador acredita que só ensina quem aprende através das trocas que se dá ao longo do processo ensino / aprendizado. Como artista acredita na arte que agrega, que preserva nossas raízes e faz pensar em possibilidades de sermos um pouco melhor a cada dia.