Oficina de transformação de materiais

Oficina de transformação de materiais

Marco Duarte, 2015.

Professor: Marcos Duarte

2º semestre 2019
13 de agosto a 10 de dezembro
Terça-feira, 14:00 – 17:00
R$ 380,00/mês
   

_

A OFICINA DE TRANSFORMAÇÃO DE MATERIAIS é uma atividade permanente da Oficina 3D que propõe pensar este espaço como um laboratório de experimentações e execução de projetos escultóricos e de objetos. Nesse ambiente, o aluno desenvolverá seu projeto com acompanhamento e discussões sobre a melhor forma de executar o trabalho e a escolha de materiais e técnicas. As atividades serão desenvolvidas buscando o aprimoramento das práticas de uso da oficina, observando normas de segurança, tais como uso de equipamentos de proteção individual, e o conhecimento do maquinário e das ferramentas.

Conteúdo
As intervenções tridimensionais e a percepção do processo de interferência no espaço; possibilidades e usos de diferentes materiais, objetos e maquinário no processo de transformação da forma e sua permanência/impermanência no espaço; os modos de trabalho e o aprimoramento de técnicas para intervenção e construção de objetos (esculturas, construção, assemblage); o lidar com as especificidades das diferentes matérias; as normas de segurança, equipamentos de segurança, manutenção básica no uso de equipamentos e maquinários, comportamento e disciplina em oficina de trabalho.

Metodologia
O curso propicia um espaço de trabalho contínuo, assim como meios e elementos para reflexões voltadas para o processo desenvolvido por cada aluno. A ênfase recai sobre a prática das experimentações e o aprimoramento do seu desempenho na operação de maquinários necessários à execução do seu projeto. As atividades são conduzidas a partir da experiência prática individual, lugar híbrido de ação/reflexão, onde emergem questões e enfrentamentos a partir das especificidades de cada material. A escuta e o diálogo fluem de maneira simultânea no campo dos fazeres e das integrações híbridas com ferramentas, maquinários e ideias. O desenvolvimento do aluno na formulação do projeto, escolha de materiais e exploração das possibilidades e desafios a serem solucionados na elaboração e execução do trabalho definem a condução do acompanhamento individualizado ao longo do curso.

Bibliografia
SERRA, Richard. Escritos e entrevistas (1967-2013). SP: IMS, 2014.
DUARTE, Paulo Sergio. Do experimental à dispersão imperativa. In: DUARTE, Paulo Sergio. Arte Brasileira Contemporânea – um prelúdio. OPUS, s/d.
FRIEDMAN, Terry & GOLDSWORTHY, Andy. Hand to Heart: Andy Goldsworthy Sculpture. England: The Henry Moore Centre for the Study of Sculpture, 1990.

Marcos Duarte iniciou suas pesquisas em arte contemporânea na Escola de Artes Visuais, em 2009, sob Iniciou seus estudos em arte contemporânea em 2009, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, sob orientação do Prof. João Carlos Goldberg. Suas obras integram o acervo do Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC-Niterói), João Satamini e Hélio Porto Carrero, dentre outros colecionadores. Realizou exposição individual no Museu de Arte Contemporânea de Niterói (MAC-Niterói) em 2014, apresentou trabalhos na SP Arte em 2017, e na ARTRIO em 2015, 2016 e 2017, onde expôs trabalhos ao ar livre. Atualmente, Marcos Duarte é representado no Rio de Janeiro pela C Galeria (http://www.cgaleria.com/artista/marcos-duarte/). Desde março de 2013, é assistente de ensino do Prof. João Carlos Goldberg e, a partir de 2015, assumiu a coordenação da Oficina 3D. Andy Goldsworthy, Giuseppe Penone, Constantin Brancusi, Franz Krajcberg e Richard Long, que compartilham e percorrem territórios de criação onde prevalece a potência emanada da natureza, são artistas que o influenciam. As questões que coloca, seja através de sua narrativa escultórica, seja na forma como vincula o criar e o conservar nessa ‘esfera-mundo da cultura-natureza’, como descreveu Guilherme Vergara (2014), fluem em um diálogo aberto, global, transparente.
Portfólio: www.mardua1967.wixsite.com