EAV Parque Lage

Poesia e corpo [arte em família]

Poesia e corpo [arte em família]

foto: Ismael silva

Poesia e corpo [arte em família]
Sábado, 28 de março de 2020, 10:30–12:30
Professores: Regina Neves e Pedro Rocha
Idade: crianças a partir de 6 anos e suas famílias

Os cursos do arte em família são gratuitos.
A programação é destinada a crianças acompanhadas de seus familiares, incentivando a imaginação coletiva e a participação da família nas escolas.

RESERVAS: parquinho.eavparquelage@gmail.com
Até sexta-feira, às 16h.
Caso o participante não esteja presente 30 minutos antes do início da aula, a reserva será liberada para lista de espera.
Sujeito a lotação.

INSCRIÇÕES NO DIA DA ATIVIDADE:
Secretaria da EAV Parque Lage

Sobre o curso
Neste sábado vamos experimentar a relação entre movimento e criação poética, os jogos do corpo com a sonoridade, a dança dos poemas. Vamos descobrir a poesia que mora em nossos corpos, a partir de um movimento, uma imagem, uma melodia, uma frase, um conto. Junto com as crianças nos abrimos à inspiração poética, deixando que se expressem emoções, sentimentos, ideias ou pensamentos.

Professores
PEDRO ROCHA
Rio de Janeiro, 1976. Vive no Rio de Janeiro.
Poeta, editor na Dantes Editora e professor na EAV Parque Lage. Publicou os livros
Escrita de galo (Coleção Séc. XXI, 2002), Onze(Azougue Editorial, 2002), Chão
inquieto (Editora 7Letras, 2010), Experiência do calor (Dantes Editorial, selo Lábia
Gentil, 2014), Ogivas de urgência (Editora 7Letras, selo Megamini, 2015) e NERVO
VERSO (Independente, 2018). Integra o coletivo Trëma. Fundador do CEP 20.000.
Idealizador do grupo performático FalaPalavra.

REGINA NEVES
Rio de Janeiro, 1949. Vive no Rio de Janeiro.
Educadora e terapeuta transpessoal e psicocorporal, residiu durante doze anos
(1998-2010) em Montevidéu, integrando o corpo docente do Espacio de Desarrollo
Armónico – Río Abierto Uruguay, dirigido por Graciela Figueroa. Trabalhou por dez
anos na Escola EDEM como professora, tendo integrado a área de artes e
coordenado a pré-escolar. Em 1990, inaugurou o “Atelier de Arte do Cotidiano”, no
Museu Chácara do Céu, onde desenvolveu por quatro anos um trabalho com
crianças de 2 a 12 anos.