Práticas artísticas de vida

Práticas artísticas de vida

Linda Montano e Tehching Hsieh. Art / Life: One Year Performance 1983-1984 (Rope Piece).

Professora: Anna Costa e Silva

2º semestre 2019
13 de agosto a 10 de dezembro
Terça-feira, 19:00-22:00
R$ 380,00

Laboratório vivencial sobre as relações entre práticas artísticas e narrativas pessoais com ênfase no desenvolvimento dos projetos de cada participantx. Tendo a escuta e a experimentação em grupo como principais metodologias, buscaremos um olhar atento para as questões que movem cada umx, de que forma suas narrativas emergem e quais as linguagens e caminhos apropriados para cada projeto. Pensaremos juntxs sobre as relações entre arte e vida, olhando para diversos projetos e artistas ao longo da História da Arte, e como esses se relacionam com o interesse e a prática dxs alunxs. Construção de narrativa, memória, trauma, público x privado, escuta do outro, autorrepresentação, autoficção, redes sociais, lugar de fala, interseções entre as artes visuais e as artes cênicas serão alguns temas abordados ao longo do curso.

Conteúdo
A ênfase do curso será no desenvolvimento dos projetos de cada estudante. Pensaremos juntxs sobre diversas questões, tais como estrutura narrativa, corpo, memória, trauma, escuta, a relação entre público e privado, autorrepresentação, autoficção, redes sociais, lugar de fala, práticas documentais e interseções entre cinema, teatro e artes visuais. Estudaremos projetos e textos de artistas como Linda Montano, Tehching Hsieh, Sophie Calle, Tino Seghal, Eleonora Fabião, Pope L, Marina Abramovic, Ulay, Bas Jan Andersen, Grada Kilomba, Cindy Sherman, Ian Wilson, Aleta Valente, entre outrxs.

Dinâmica
As aulas serão divididas em três partes: exercícios vivenciais, discussão de processos dxs alunxs e apresentação de trabalhos artísticos relacionados ao tema artevida. Os exercícios vivenciais deverão trazer os pensamentos dxs alunxs para além do racional, possibilitando que outras dinâmicas e sinapses aconteçam, a partir da escuta e do corpo. Práticas de improvisação e contato, caminhadas no parque, escrita intuitiva e experiências de observação silenciosa são alguns exemplos de como começaremos as aulas. O curso inclui, também, uma série de exercícios de observação de vida e trabalho para serem feitos durante a semana, tais como diários, cadernos e expedições criativas. No início do semestre, focaremos no conteúdo teórico e na experimentação à partir dos exercícios. No final do semestre, cada alunx deverá desenvolver um projeto artístico, sendo as últimas aulas dedicadas ao acompanhamento dos projetos.

Bibliografia
CALLE, Sophie. The address book. Editora Sigilo, 2012.
CLARK, Lygia, OITICICA, Helio. Cartas. Editora UFRJ, 1988.
COTRIM, Cecília e FERREIRA, Glória (Org). Escritos de artistas anos 1960 e 1970. Editora Zahar, 2006.
FABIÃO, Eleonora e LEPECKI, André. Ações Eleonora Fabião. Itaú Cultural, 2015.
HSIEH, Tehching e HEATHFIELD, Adrian. Out of now: The Lifeworks of Tehching Hsieh. Live Art Development Agency and The MIT Press.
KILOMBA, Grada. Memórias da Plantação. Editora Cobogó, 2019.
MONTANO, Linda. You are too a performance artist. Art in everyday life. SITE Santa Fé.
RILKE, Raina Maria. Cartas a um jovem poeta. Antígona, 2016
ULAY. Whispers – Ulay on Ulay. Valiz Foundation.

Filmes
Coração de cachorro. Direção de Laurie Andersen, 2016.
Jogo de Cena. Direção de Eduardo Coutinho, 2007.
Um Passaporte Húngaro. Direção de Sandra Kogut, 2001.

Anna Costa e Silva é artista visual e diretora. Seu trabalho acontece nas interseções entre artes visuais, cinema, performance e práticas relacionais, operando a partir de relações construídas entre pessoas. Mestra em Artes Visuais pela School of Visual Arts, Nova York, recebeu prêmios como FOCO Bradesco ArtRio, Bolsa Funarte de Produção Artística e American Austrian Foundation Prize for Fine Arts e foi indicada em prêmio PIPA. Em 2019 é uma das finalistas do Prêmio Marcantonio Vilaça. Entre 2014 e 2019, realizou 11 exposições individuais em instituições e galerias, entre elas “Assíntotas” na Caixa Cultural, “Ofereço Companhia” na Galeria Superfície, “Púrpura” uma experiência móvel pela cidade do Rio de Janeiro e “Éter” no Centro Cultural São Paulo, selecionado para a Mostra de Exposições. Participou de exposições coletivas em instituições como Oi Futuro, Parque Lage, Casa França Brasil, Casa Triângulo, A Gentil Carioca, Silvia Cintra + Box4, Art In Odd Places, Grace Exhibition Space (NY), BienalSur (Buenos Aires), Contemporary Art Center (Vilnius), Arte Laguna (Veneza). Foi artista residente no Pivô (SP), Phosphorus (SP), School of Making Thinking (NY) e Salzburg Academy of Fine Arts (Salsburgo). Começou sua trajetória dirigindo curtas metragens exibidos em 40 festivais pelo mundo e ganhadores de prêmios como Accolade Award of Excelence, na Califórnia. Dirigiu a série de documentários “Olhar” sobre artistas contemporâneos para o canal Arte1. Tem trabalhos em coleções públicas e particulares, entre elas o MAR- Museu de Arte do Rio.