Processos na Arte Contemporânea

Processos na Arte Contemporânea

Joseph Beuys. Como explicar imagens a uma lebre morta, 1965. / Gustave Coubert. O atelier do pintor, 1854–1855.

_
Professores: Anna Bella Geiger e Fernando Cochiaralle

Férias de Inverno 2019
04 de julho a 1º de agosto
[Dias 4, 11, 18, 25 de julho e 1º de agosto]
Quinta-feira, 19:30–21:00
R$ 380,00

Curso intensivo de cinco aulas nas quais os professores propõe uma reflexão acerca do processo de trabalho do artista na contemporaneidade. As aulas são compostas de análise crítica minuciosa dos trabalhos apresentados pelos próprios alunos, incluindo uma projeção de amplo material iconográfico no campo das artes visuais, propostos pelos professores a partir das questões trazidas por cada trabalho.

Conteúdo
Questões sobre arte contemporânea aplicadas à análise dos projetos dos alunos.

Dinâmica
Análise dos trabalhos apresentados pelos alunos. Apresentação de referências a partir das questões presentes nestes trabalhos.

Referências
COCCHIARALE, Fernando & GEIGER, Anna Bella. (org.). Abstracionismo geométrico e informal: a vanguarda brasileira nos anos 50. Rio de Janeiro: FUNARTE / INAP, 1987.
TUCKER, Marcia. Art After Modernism: Rethinking Representation. New York: New Museum of Contemporary Art, 1984
FREIRE, Cristina. Poéticas do processo: Arte Conceitual no Museu. São Paulo: (ed. Iluminuras, 1999.
SINAGA, Fernando. Ideas K. MAC Alicante.
Lippard, Lucy R. Changing : Essays in Art Criticism. New York, NY: E.P. Dutton, 1971.

Anna Bella Geiger
Nasceu no Rio de Janeiro em 1933. Graduada em Línguas Anglo-Germânicas na Faculdade Nacional de Filosofia (UFRJ). Ainda nos anos 1950 estudou História da Arte e Sociologia da Arte com Hanna Levy Deinhardt na New York University e na New School for Social Research. Participou da 1ª Exposição Nacional de Arte Abstrata em 1952 no Rio de Janeiro. Em 1962 ganhando, com sua obra abstrata, o Primér Premio Casa de las Americas, Havana, Cuba. Tem exposto regularmente desde então, em exposições individuais e coletivas no Brasil e no Exterior, como em várias Bienais Internacionais de São Paulo, Veneza, Bienalle du Jeune (Paris, 1967), II Bienal de Liverpool, 5 éme Biennale Internationale de Photographie, (Liège, 2000) e na Trienal Poligráfica de San Juan, 11th International Biennial Exhibition of Prints in Tokyo (1979). Algumas coletivas como Artevida – Arte Política, MAM e Casa França-Brasil (Rio de Janeiro, 2014), América Latina 1960-2013, Fondation Cartier d’Art Contemporaine (Paris, 2013), La Idea de America Latina, CAAC (Sevilha, 2012), Vídeo Vintáge, Centre Pompidou (2012), Europália – A RUA – MUHKA (Antuérpia, 2011), COMO NOS MIRAM, CGAC (2011), Geopoéticas – 8ª Bienal do Mercosul (2011), Elles@Pompidou (Paris, 2009), Cartografias del deseo, Centro de Arte Reina Sofia (2000). Exposição individual PROJECTIONS XXI, MoMA (NY, 1978). Seus trabalhos integram coleções como a do MoMA (Nova York), do Centre Georges Pompidou (Paris), Tate Modern e Victoria and Albert Museum (Londres), Getty Institute (Los Angeles), The FOGG Collection (Boston), Hank Hine – TAMPA Museum, Flórida entre outras. Publicou, com Fernando Cocchiarale, o livro Abstracionismo geométrico e informal (Funarte, 1987). Ensina no Higher Institute for Fine Arts (HISK), Ghent, Antuérpia e na Escola de Artes Visuais do Parque Lage (EAV), Rio de Janeiro.

Fernando Cocchiarale
Professor de Filosofia do Departamento de Filosofia da PUC-RJ (desde 1978) e da Escola de Artes Visuais do Parque Lage desde 1990. Autor de livros como Abstracionismo Geométrico e Informal: A Vanguarda Brasileira dos Anos 50 (com Anna Bella Geiger), Rio de Janeiro, MEC/ Funarte, 1987 e Quem Tem medo da Arte Contemporânea, Recife, Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2006, publicou cerca de 200 artigos, textos e resenhas em coletâneas, catálogos Jornais e revistas de arte do Brasil e do exterior (tais como o Jornal do Brasil, RJ; Módulo, RJ; Guia das Artes, SP; Galeria e ArtNexus, Colombia). Foi membro da Comissão Curadora do Projeto Rumos Visuais de 1999 a 2000; curador-coordenador do mesmo Projeto entre 2001 / 2002 e, de novembro de 2000 a agosto de 2007, curador do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro. Foi curador da Casa de Cultura Laura Alvim, no Rio de Janeiro (2011/2012) e curador das mostras de arte contemporânea do Santander Cultural, Recife (2011). É doutor em Tecnologias da Comunicação e Estética pela Escola de Comunicação da UFRJ (2012).