Programa de formação Gratuito 2018

APRESENTAÇÃO
ORGANIZAÇÃO E PERIODICIDADE
ARTISTAS-PROFESSORES
CRONOGRAMA
BOLSISTAS SELECIONADOS

Ana Kiffer (Niterói, RJ).
Vive e trabalha em Paris.
É doutora em Letras / Literatura Comparada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2002) com estágio doutoral na Université de Paris 7 (1998/1999). Diretora de Programa no Collège International de Philosophie – Paris (2007-2013), Coordenadora do Convênio Internacional CAPES-COFECUB entre PUC-Rio e Université de Paris 7 (20009-2012). Atua na área de Letras, principalmente na de literatura comparada (com ênfase nas relações entre literatura, arte e filosofia) e na teoria da literatura tendo como questão primordial a análise das relações entre o corpo e a escrita.

Ana Emerich (Rio de Janeiro, RJ).
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.
Artista e pesquisadora. Bacharel em Música/Regência (UNICAMP, 2002), Mestre em Artes Visuais (UERJ, 2015), frequentou cursos livres na EAV Parque Lage e na Escola de Dança Angel Vianna. Atuou como regente à frente de orquestras e coros e na coordenação de projetos musicais na Fundação OSESP e Orquestra Petrobras Sinfônica. Investiga relações entre lugar, materialidades e dinâmicas sonoro-visuais. Tem interesse por processos de criação em imersão temporal e por poéticas de deslocamento: nos pequenos ritmos e desvios entre o visível e o não evidente, nas composições entre espaço, corpo, singularidade e multidão. Modula seus trabalhos em ações, imagens, sons e escrita.

Anna Bella Geiger (1933, Rio de Janeiro, RJ).
Vive e trabalha no Rio de Janeiro.
Artista. Graduada em Letras Anglo-Germânicas pela UFRJ e em Sociologia da Arte pela New York University. Realizou exposições, recebeu prêmios e bolsas no Brasil e no exterior. Seus trabalhos integram coleções como a do MoMA (Nova York) e a do Centre Georges Pompidou (Paris). Publicou, com Fernando Cocchiarale, o livro Abstracionismo geométrico e informal (Funarte, 1987).

Elaine Dual (Rio de Janeiro, RJ).
Vive e trabalha no Rio de Janeiro. Artística performática, alquimista, educadora e terapeuta corporal. Formada em Licenciatura em Dança na Faculdade Angel Vianna do Rio de Janeiro, no Curso Técnico de formação para bailarinos e pós graduanda em Terapia Atravez do movimento na mesma.
Realiza intervenções aromáticas, promovendo experiências sensoriais com trabalhos energéticos e aromaterapia, facilita vivencias que proporcionam um estado alterado de consciência alterando também a atmosfera do ambiente. Atua dando aluas de consciência corporal e processo de criação para jovens em escolas publicas, facilita vivencias para artistas com a intensão de abrir o corpo e promover uma escuta interna.

Fred Coelho (1974, Rio de Janeiro, RJ).
Vive e trabalha no Rio de Janeiro. 
Pesquisador e professor de Literatura Brasileira e Artes Cênicas da PUC-Rio. Se formou e fez Mestrado em História no IFCS-UFRJ e Doutorado em Literatura pela PUC-Rio. Entre 2009 e 2011 foi assistente de curadoria do MAM-RJ. Lançou, entre outros, os livros Eu, brasileiro, confesso minha culpa e meu pecado – cultura marginal no Brasil 1960 e 1970 (2010), Livro ou livro-me – os escritos babilônicos de Hélio Oiticica (2010) e, com César Oiticica Filho, Hélio Oiticica –Newyorkaises/Conglomerado (2013). Fez curadorias e textos para o projeto Travessias (com Daniela Labra e Luisa Duarte), realizado no Galpão Bela-Maré em novembro de 2011 e para exposições de Maria Laet, Laercio Redondo e Gisele Camargo.

Jorge Menna Barreto (1970, Araçatuba, SP).
Vive em Petrópolis e trabalha no Rio de Janeiro.
 Freqüenta cursos de escultura e pintura com Jailton Moreira, em Porto Alegre, em 1990. Bacharela em artes plásticas com especialização em desenho na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, em 1997. A trama do desejo e da amizade é tecida em alguns de seus trabalhos, ao trazer o espectador para muito perto e torná-lo o motor da obra. Realiza o trabalho Restauro, para a 32ª Bienal de São Paulo, por meio dos alimentos, o artista traz a floresta para a exposição e convoca o comensal a se tornar um participante do sistema agroflorestal.

Max Jorge Hinderer Cruz (1980, Heidelberg, ALE)
Vive e trabalha no Rio de Janeiro. 
Escritor e filosofo boliviano-alemão, mora no Rio de Janeiro e trabalha como crítico da cultura, curador e editor. Seu trabalho foca na historia global da sensibilidade, história da economia colonial, filosofia estética materialista, tecnologias de governo e a produção de subjetividade. É autor do livro “Hélio Oiticica e Neville D’Almeida: Cosmococa” (Afterall Books/MIT Press, 2013; e Azougue/Capacete, 2014 – junto com Sabeth Buchmann). De 2014-16 foi co-coordenador do Programa de Ações Culturais Autônomas (P.A.C.A.) e do Seminário Público Micropolíticas de São Paulo. Foi curador das mostras “Principio Potosí” (Museu Reina Sofia Madrid/HKW Berlim/Museu Nacional de Arte La Paz, 2010-11 – em parceria com Alice Creischer e Andreas Siekmann) e “Implosão: Trans(relacion)ando Hubert Fichte” (MAM Salvador / Centro Hélio Oiticica RJ, 2017-18 – em parceria com Amilcar Packer).

Ricardo Basbaum (1961, São Paulo, SP).
Vive e trabalha no Rio e Janeiro.
 Artista, atua também como professor, pesquisador e crítico. Participou da formação de vários grupos (Dupla Especializada, Seis Mãos e Visorama, entre outros). Desde 1989, desenvolve o projeto Novas Bases para a Personalidade (NBP). Expôs na 25ª e 30ª Bienal de São Paulo (2002, 2012) e 20ª Bienal de Sydney (2016), entre outras. Participou da documenta 12 (2007), com curadoria de Roger Buergel. Professor Visitante da UChicago em 2013. Desde 2017, é professor da Universidade Federal Fluminense (UFF).

Raphael Fonseca (1988, Niterói, RJ).
Vive no Rio de Janeiro e trabalha em Niterói e Rio de Janeiro.
Curador do MAC-Niterói e professor do Colégio Pedro II. Doutor em Crítica e História da Arte pela UERJ. Recebeu Recebeu o Prêmio Marcantonio Vilaça de curadoria (2015) e o prêmio de curadoria do Centro Cultural São Paulo (2017). Entre suas exposições recentes, destaque para “Mais do que araras” (SESC Palladium, Belo Horizonte, 2017), “Quando o tempo aperta” (Palácio das Artes – Belo Horizonte e “Deslize ” (Museu de Arte do Rio, 2014).

Rodrigo Nunes (Rio de Janeiro, RJ).
Vive e trabalha no Rio de Janeiro. 
PhD em Filosofia pela Universidade de Londres. Professor do Departamento de Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) desde 2013 e autor do livro Organisation of the Organisationless: Collective Action After Networks (Mute/PML Books, 2014). É coordenador do GT Ontologias Contemporâneas da Associação Nacional de Pesquisadores em Filosofia (ANPOF), líder do grupo de pesquisa Materialismos – Ontologia Ciência e Política na Filosofia Contemporânea (CNPq), do Centro Brasileiro de Pesquisas em Democracia, do Núcleo de Pesquisas em Filosofia Francesa Contemporânea e do grupo de pesquisa Movimentos 2.0 (Cnpq). Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Universidade Federal de Pelotas (2000) e mestre em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2003) e pós-doutorando PNPD/CAPES na PUCRS (2010-2013).

Rodrigo dos Santos (1977, Rio de Janeiro, RJ).
Vive em São Paulo e trabalha entre Rio de Janeiro e São Paulo. Bacharel e mestre em filosofia pela UFRJ, ator e pesquisador, ogan e contramestre da capoeira angola. Nascido no ano de 1977, no Rio de Janeiro, capital, começou no teatro em 1985. Foi integrante da Cia dos Comuns, desde sua fundação em 2001 até 2010, onde atuou e produziu espetáculos, oficinas e seminários voltados à pesquisa sobre o teatro negro. Já participou de mais de 40 montagens teatrais, com destaque para os trabalhos com a Comuns, “Roda do Mundo”, “Candaces”, “Bakulo” e “Silêncio”; mais “O subterrâneo jogo do espírito”, de sua autoria; “Julia”, de Christiane Jatahy; e “Navalha na carne negra”, texto de Plínio Marcos e direção de José Fernando Peixoto de Azevedo. No cinema, destacam-se “Cidade dos homens”, de Paulo Morelli, e “Aos teus olhos”, de Carolina Jabor. Na TV, “Filhos do carnaval”, de Cao Hamburger e Elena Soares; e “Rarefeito”, de André Fernando Sturmer e Marçal do Carmo.

Tatiana Henrique (Rio de Janeiro, RJ).
Vive e trabalha no Rio de Janeiro. Atriz pela ETET Martins Penna. Pesquisa teatro performance ritual e seus princípios nas tradições orais. Participou de eventos sobre teatro e cultura negra nas instituições: National School of Drama (New Delhi/India), Casa de la Literatura Peruana (Lima/Peru), UNESP, IFB, FIOCRUZ, UFBA, UFRJ, UFF, UFRRJ, CCBB (RJ e SP), FAV (Faculdade Angel Vianna), Bienal do MERCOSUL, Festival Nacional de Teatro de Juiz de Fora/MG e Centro Municipal de Artes Hélio Oiticica. Também atua com contação de histórias tradicionais e povos africanos, afro-brasileiros, indígenas e indianos.