Rastros e Bits: Narrativas do cotidiano digital

Rastros e Bits: Narrativas do cotidiano digital

Trecho da obra À la recherche du temps perdu de Marcel Proust.

Professores: Clorisval Pereira e Giodana Holanda

1º semestre
07 de março a 27 de junho
Quarta-feira, 15h às 18h
R$ 380,00/mês
   

Objetivos:
O curso irá explorar formas e possibilidades de produção artística a partir da construção de poéticas e narrativas baseadas no rastreamento e captura de dados do cotidiano digital.

Conteúdo:
Em um cotidiano cada vez mais digital, deixamos uma grande quantidade de rastros e registros em forma de dados e bits que são coletados por mídias sociais, websites, meios de pagamento eletrônico, aplicativos de relacionamento, estilo de vida e produtividade. Publicamos fotos, textos, memórias, momentos e histórias. Geo-localizamos nossos deslocamentos. Medimos nossos passos, calorias ingeridas, batimentos cardíacos e horas de sono. Gravamos conversas, datas, compras e encontros. Nesse cenário panóptico e ambíguo, onde são tensionadas as fronteiras da vigilância e da privacidade, queremos discutir e provocar formas de arte que questionam e produzem novos significados sobre o que é viver em um cotidiano digital.

O curso irá explorar práticas artísticas que utilizam abordagens de lifelogging, lifestreaming e que exploram o conceito de quantified-self, para a construção de poéticas e narrativas baseadas no rastreamento de dados pessoais do dia-a-dia.

Dinâmica:

O curso terá uma abordagem teórico-prática. Apresentaremos um panorama de trabalhos de arte contemporânea que exploram práticas de rastreamento de dados, contra-vigilância e narrativas locativas. A partir desses trabalhos, vamos desenvolver uma discussão teórica e crítica sobre a estética da cultura dos dados, da cibercultura e da cultura digital. Do ponto de vista prático, vamos trabalhar com dispositivos móveis (sensores e aplicativos para smartphones) e mídias sociais para a produção de expressões artísticas baseadas no rastreamento de dados do cotidiano digital.

Público alvo:
Interessados em desenvolver trabalhos de arte com tecnologias digitais de rastreamento de dados.

Referências bibliográficas:
BAMBOZZI, L., BASTOS,M., MINELLI, R. Orgs. Mediações, Tecnologia e Espaço Público. Conrad Editora, 2010.
DODGE, M.; KITCHIN, R. Outlines of a World Coming into Existence: Pervasive Computing and the Ethics of Forgetting. In: Environment and Planning B: Urban Analytics and City Science. Vol 34, Issue 3, 2007.
FARMAN, J. The Mobile Story: Narrative Practices with Locative Technologies. Routledge, 2012.
JOHNSTON, S. The Everyday. Documents of Contemporary Art. Whitechapel and MIT Press, 2008.
JONES, D. Installation Art and the Practices of Archivalism. New York: Routledge, 2016.
PEREIRA, C. & CORREIA, M. What’s the story morning glory? In: SPITZ, R. (Org.) Desorientação e colaboração no cotidiano digital. Rio de Janeiro: PUC-Rio, Rio Books, 2014.

Clorisval Pereira

Designer e artista visual. Doutor e Mestre em Design pela PUC-Rio na linha de pesquisa em Design, Tecnologia e Sociedade. Trabalha com as interseções entre Design, Arte, Cultura Digital e Inovação Social.

Giodana Holanda
Artista visual. Doutora e Mestre em Design pela PUC-Rio na linha de pesquisa em Arte e Tecnologia. Graduada em Arquitetura e Urbanismo pela UFPE. Possui formação complementar e experiência nas áreas de gravura, fotografia e imagem digital. É professora da Escola de Artes Visuais do Parque Lage desde 1984, onde atua nos núcleos de Imagem Gráfica e de Arte e Tecnologia. Tem interesse nas questões relacionadas ao cotidiano urbano e à mobilidade, narrativas digitais, cartografias subjetivas e uso de aplicativos para dispositivos móveis.