Stencil em base fotográfica: da gravura ao espaço público

Stencil em base fotográfica: da gravura ao espaço público

Professores: Julio Castro e Pedro Ivo

2º semestre
06 de agosto a 17 de dezembro
Segunda-feira, 15:00–18:00
R$ 380,00/mês
 

Pode-se dizer que o stencil foi a primeira técnica de gravura, utilizando-se de elementos naturais, como folhas e pedras, para fazer máscaras das partes onde não se usava o pigmento, criando uma impressão invertida. Com a origem do papel, formas mais complexas começaram a ser entalhadas, dando início a produção de imagens e textos a partir de moldes vazados. Atualmente, está vinculado a técnicas de arte urbana, presente em grandes metrópoles do mundo todo, além de ser utilizado como decoração e estamparia. A técnica tem uma relação íntima com a fotografia, visto que muitos artistas a utilizam como base do processo de produção de imagens.

Objetivo
Proposta de uma imersão prática e teórica na linguagem do stencil, que pode ser rápida e eficiente para atividades nas ruas e também sofisticada para impressões em diversas superfícies. O curso pretende mostrar a versatilidade da prática, no que diz respeito a possibilidades de produtos criados: arte urbana, impressão em papel, tecido, criação de lambe-lambe, entre outros. Serão apresentados todos os processos de criação, desde a produção fotográfica, passando pela edição da imagem, corte das matrizes, impressão, até o resultado final.  

Conteúdo
– Introdução teórica, suas origens e seu desenvolvimento ao longo do processo histórico: das pinturas rupestres até os movimentos urbanos, manifestações políticas e a cultura hip hop.
– Suporte fotográfico para a produção das imagens.
– Procedimentos de edição das imagens no programa Photoshop para a obtenção dos moldes vazados que formarão as matrizes.
– Impressão e corte das matrizes e produção das imagens.
– Stencil em pequenos formatos: imagens em A4 e A3; diálogo com a gravura.
– Stencil em grandes formatos: arte urbana

Dinâmica / Metodologia
– Síntese da teoria e prática na produção da imagem, desde o processo fotográfico, até a edição digital, corte e impressão.
– Aula expositiva com discussão de conteúdos e demonstração de materiais e imagens.
– Possibilidade de um trabalho coletivo.
– Incursões pela cidade, exposições e ateliês de artistas.

Público Alvo
Alunos com interesse em stencil, graffiti, fotografia e arte urbana em geral, que já tenham ou não conhecimento prévio. Interesse em uma construção compartilhada de conhecimentos, produção coletiva, além da individual.

Bibliografia
Banksy. Guerra e spray / Banksy; traduzido por Rogério Durst. – Rio de Janeiro: Intrínseca, 2012.
Hunter, Garry. Arte de rua ao redor do mundo; traduzido por Renata Brabo. – São Paulo: Madras, 2013.
Mônica Nador. Folder RioLoco – Ano do Brasil na França, 2005.

Materiais / Equipamentos Necessários
– Tinta spray
– Papéis diversos para impressão
– Papéis para confecção das máscaras
– Fita crepe

Pedro Ivo é formado em Ciências Sociais, com mestrado em Cultura e Territorialidades, ambos pela Universidade Federal Fluminense. Durante o processo de formação acadêmica, o stencil se fez presente, servindo como ferramenta de diálogo entre pesquisador e seus interlocutores – moradores de rua e membros de uma ocupação urbana em Niterói. Foi membro do TREN COLECTIVO, onde atuou em pinturas murais e atividades sociais nas cidades de La Plata e Córdoba, na Argentina. Durante todo o ano de 2017 atuou em parceria com o Estudio Dezenove, em um ciclo de oficinas, além de participar de exposições e mostras. Atualmente, realiza trabalhos em Minas Gerais (Itajubá e Pouso Alto) e na cidade do Rio de Janeiro, ministrando oficinas e intervindo nas ruas.

Julio Castro é formado em gravura pela UFRJ com passagem pela Escola de Artes Visuais do Parque Lage e UFRGS em Porto Alegre, dedica-se à produção artística desde os anos noventa. Participou das mostras coletivas A Paixão do Olhar MAM/RJ; Republicar Museu da República-RJ (1993); da XV ESTAMPA – Salão Internacional de Gravura e Edições de Arte Contemporânea em Madrid (2007); Plaisir d’Offrir#2 – Galeria Dagmar De Pooter / Antuérpia, Bélgica (2009); Rio X Córdoba, Museu Emílio Caraffa, Argentina, entre outras. Individualmente expôs no Rio de Janeiro, Pelotas, Porto Alegre, em Lisboa no Centro Português de Serigrafia (2007) e em Bruxelas no ARS117 (2009), espaços em que fez residência artística como artista convidado. Coordena o Estudio Dezenove, espaço dedicado à arte contemporânea localizado em Santa Teresa no Rio de Janeiro e desde 2011 é professor de gravura na Escola de Artes Visuais do Parque Lage.