EAV Parque Lage

TERRA, FOGO, ÁGUA E AR

TERRA, FOGO, ÁGUA E AR

Luiz Alphonsus – Positivo_Negativo, 1970

Professor: Ulisses Carrilho

Cursos – Julho 2020
Julho . Sextas, de 11h às 12h30
R$280,00

butao_venda

*Leia atentamente todas as normas de matrícula antes de se inscrever. Clique aqui.
A matricula online não oferece desconto. A política de descontos só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.

Neste curso vamos elaborar relações e sentidos a partir de imagens construídas em diferentes tempos, dentro e fora do campo da arte. A partir de imagens, analisaremos transhistoricamente formas para refletir acerca de criação, representação e expressão. O ponto de partida deste curso é uma série de escritos da crítica de arte norte-americana Lucy Lippard ao articular vínculos, interesses e repetições entre alguns projetos de cunho conceitual da arte contemporânea a imagens pré-históricas. Elas interessam à autora sobretudo por serem construídas em um tempo anterior à própria formação da linguagem, do campo social da arte e da própria ideia de indivíduo. Faremos um percurso por imagens que articulam os seguintes recortes: A articulação da formas do tempo: Terra e Céu – a parte e o todo; Água e Ar – mapas, lugares e jornadas; Tempo e Retorno: o ritual e o fogo; Em Pedra: a vida, o abrigo e a morte.

Feminista e ambientalista, o imaginário da crítica é marcado por um posicionamento político perante as imagens, textos e informações que ela interpreta. Em seu livro “Overlay: Contemporary Art and the Art of Pre History” articula imagens da arte minimal, da antiforma, da arte sistema, das artes da terra e arte processo com imagens pré-históricas. Suas leituras não estão centradas nas categorizações que as obras de arte assumem no sistema da arte, mas de estratégias expressam uma vontade de representação que antecede a arte.

A proposta de Lippard busca na pré-história uma oportunidade para discutir o feminismo nas obras de Ana Mendieta e Louise Bourgeois. O curso expandirá o vocabulário de imagens proposto por Lippard ao articular também projetos de artistas latinos do século 21, propondo uma releitura a partir das urgências do sul global e das subjetividades marginalizadas no estatuto cultural hegemônico.

Conteúdo
O curso se direciona aos públicos interessados em arte, cultura e imagem. Trabalharemos a partir de pesquisas históricas da arte contemporânea, com ênfase na produção dos anos 1960 e 1970 e suas ligações com documentos históricos. Será encorajado um debate coletivo e a criação de relações formais e subjetivas de todos. Algumas das imagens apresentadas pela crítica de arte são de caráter científico. Artistas que trabalham hoje, no centro e na periferia do sistema artístico, completam e atualizam a pesquisa.

As aulas serão preparadas totalmente em português. O livro não tem tradução em língua portuguesa e não é necessário seu conhecimento prévio para a realização do curso. As traduções necessárias serão realizadas pelo professor, antecipadamente, para que possamos ter um diálogo compartilhado.

Cronograma
Aula 1 – 10 de julho
Terra e Céu – a parte e o todo;

Aula 2 – 17 de julho
Água e Ar – mapas, lugares e jornadas;

Aula 3 – 24 de julho
Tempo e Retorno: o ritual e o fogo;

Aulas 4 – 31 de julho
Em Pedra: a vida, o abrigo e a morte.

Dinâmica
Aula expositiva por videoconferência.
Compartilhamento de referências semanais com debates coletivos em aula.

Público
Indicado para pessoas interessadas em conhecer, pesquisar e/ou o tema.

Materiais necessários
Acesso à internet; computador ou celular com câmera

História da Arte; Crítica de Arte; Imagens Históricas; Lucy Lippard; Relações Entre Imagens

Ulisses Carrilho é curador da Escola de Artes Visuais do Parque Lage e ex-aluno da mesma escola. Pós-graduado em Economia da Cultura (UFRGS), estudou Comunicação Social (PUCRS) e Letras – Português/Francês (UFRGS). Iniciou sua trajetória como assistente de direção do Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul. Integrou a equipe de relacionamento institucional da Fundação Bienal do Mercosul (Porto Alegre) e da galeria Rolando Anselmi (Berlim, Alemanha). Desde 2015 trabalha na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, com Lisette Lagnado, como assistente de direção e curador assistente. Em 2018, assumiu a curadoria de Ensino e Programa Público da escola. Vive no Rio de Janeiro.