EAV Parque Lage

Xilogravura no Brasil – contexto histórico e a produção contemporânea

Xilogravura no Brasil – contexto histórico e a produção contemporânea

Lívio Abramo – Chuva Paraguay, 1965 | xilogravura 27,5×31,5cm

Professor: Julio Castro

Cursos – Julho 2020
Julho . Segundas, de 15h às 17h
R$330,00

butao_venda

*Leia atentamente todas as normas de matrícula antes de se inscrever. Clique aqui.
A matricula online não oferece desconto. A política de descontos só é oferecida na matrícula com pagamento via boleto bancário.

O curso permite conhecer e analisar a história da produção da gravura tanto para quem não tem nenhum conhecimento do tema como para pesquisadores e artistas que tenham interesse em um aprofundamento nesse campo. A proposta é proporcionar um momento para reflexão sobre a arte brasileira, com ênfase na xilogravura através dos sucessivos movimentos artísticos, desde o modernismo, analisando obras de artistas e núcleos de produção gráfica disseminados pelo país.

Conteúdo
Em quatro encontros será abordada a produção da xilogravura no Brasil, desde suas primeiras manifestações até a produção contemporânea. Será realizada uma análise dos diversos ciclos de desenvolvimento da linguagem da gravura no Brasil, com foco na produção xilográfica, por meio de investigação e contraposição das produções de artistas essenciais nesse processo. Ao mesmo tempo, trabalharemos a relação da linguagem da gravura com os movimentos artísticos de cada época. Os encontros apresentarão os seguintes temas:

Módulo 1
– As origens da gravura no Brasil e o seu ensino através da atuação de artistas.
Artistas referentes: Carlos Oswald, Orlando DaSilva, Axl Leskochek, Oswald Goeldi, Edith Behring
– A produção modernista e as implicações de uma nova linguagem gráfica.
Imagens de obras de Axl Leskochek, Lasar Segall, Oswaldo Goeldi, Livio Abramo.

Módulo 2
– Arte e engajamento – o surgimento dos clubes de gravura e o papel social da arte.
Imagens de obras de Carlos Scliar, Francisco Stockinger, Vasco Prado, Renina Katz, Glênio Bianchetti, Danúbio Gonçalves, Glauco Rodrigues.
– O fenômeno do cordel na Região Nordeste: o popular e o erudito.
Imagens de obras de Mestre Noza, José Francisco Borges, Lira Nordestina, Ciro Fernandes, José Altino, Sérvulo Esmeraldo, Gilvan Samico.

Módulo 3
– Expressionismo no Brasil: heranças e afinidades
Imagens de obras de Rubem Grilo, Armando Sobral, Luise Weiss, Magliani, Newton Cavalcanti, Marcio Pannunzio.
– As vanguardas dos anos 50 e 60 – abstração geométrica e informal e a aventura política na Pop Art
Imagens de obras de Fayga Ostrower, Lygia Pape, Judith Lauand, Roberto Magalhães, Marcelo Grassmann, Henrique Fuhro, Maria Bonomi, Emanoel Araújo, Regina Silveira, Manuel Messias dos Santos.

Módulo 4
– Campo Ampliado: a produção contemporânea, as novas tecnologias e os coletivos de artistas.
Helio Fervenza, Otacilio Camilo, Alberto Martins, Ernesto Bonato, Pedro Sánchez, Fabricio Lopez, Diô Viana, Coletivo Gráfico, Gian Shimada, Claudio Caropreso, Xilomóvel.

Dinâmica
Aula expositiva por videoconferência.
Compartilhamento de referências semanais com debates coletivos em aula

Público
Indicado para pessoas interessadas em conhecer e/ou pesquisar o tema.

Materiais necessários
Acesso à internet
Computador ou celular com câmera

Referências
GRAVURA – Arte Brasileira do Séc.XX / Textos de Leon Kossovitch e Mayra Laudanna, Ricardo Resende; Apresentação Ricardo Ribenboim – São Paulo: Cosac & Naify / Itaú Cultural, 2000
MARTINS, Carlos. Gravura e Modernidade / Pinacoteca de São Paulo, 2016
HERKENHOFF, Paulo. Contra a gravura – Catálogo Rio Gravura, Rio de Janeiro, 1998
MARTINS, Carlos. A Gravura de Segall – Catálogo da exposição no Paço Imperial, Rio de Janeiro, 1987
A GRAVURA BRASILEIRA na coleção Mônica e George Kornis, Catálogo Caixa Cultural, Rio de Janeiro, 2008
MESQUITA, Ivo. Gravura em campo expandido / Pinacoteca de São Paulo, 2012

Arte Brasileira; Xilogravura; História da Arte

Julio Castro vive e trabalha no Rio de Janeiro. Formado em gravura pela UFRJ com passagem pela Escola de Artes Visuais do Parque Lage e UFRGS em Porto Alegre, dedica-se à produção artística desde a década de 19990. Participou das mostras coletivas A Paixão do Olhar MAM/RJ; Republicar Museu da República-RJ (1993); XV ESTAMPA – Salão Internacional de Gravura e Edições de Arte Contemporânea em Madrid (2007); Plaisir d’Offrir#2 – Galeria Dagmar De Pooter / Antuérpia, Bélgica (2009); Rio X Córdoba, Museo Emilio Caraffa, Argentina, entre outras. Individualmente expôs no Rio de Janeiro, Pelotas, Porto Alegre, Lisboa – Centro Português de Serigrafia (2007) – e em Bruxelas – ARS117 (2009), espaços em que foi convidado para realizar residências artísticas. Em 2019 realiza residência no Otawara Cultural Center no Japão onde produz uma série de xilogravuras. Coordena o Estúdio Dezenove, espaço dedicado à arte contemporânea localizado em Santa Teresa no Rio de Janeiro e desde 2011 é professor na área de Imagem Gráfica na Escola de Artes Visuais do Parque Lage.