História da Arte

MUSEUS: DE LUGARES DE MEMÓRIAS ÀS COREOGRAFIAS DO IMPOSSÍVEL

Sobre o curso

Como investigar as políticas que vêm ressignificando museus e coleções? Como vislumbrar possibilidades de transformação destes espaços que apontem para um futuro onde, de fato, eles não sejam apenas inventários da dominação colonial?
A partir das recentes discussões trazidas pela escritora Françoise Vergès, este curso faz uma cartografia das ações que, no Brasil e no exterior, têm buscado construir críticas curatoriais e percursos compartilhados capazes de ampliar as noções de memória, do pensar artístico e dos desafios da arte-educação.

O que você vai aprender:

1-Museu: a gestação de colonialidades e os reflexos diretos no Ensino das Artes
2-Patrimônios, Protagonismo e Partilha: ações para ressignificar coleções
3-As proposições da Arte Indígena Contemporânea
4-Descolonizar, um verbo: as exposições afrocentradas e a construção de novas memórias

program_tbl image 77

História da Arte

MUSEUS: DE LUGARES DE MEMÓRIAS ÀS COREOGRAFIAS DO IMPOSSÍVEL

R$480,00 (VALOR ÚNICO)

Este curso é indicado para:

Curso multidisciplinar Indicado para pessoas interessadas em conhecer e/ou pesquisar o tema. Não há pré-requisitos.

Dinâmica:

Apresentação de referências e práticas artísticas para debates coletivos em aula. Estudo de material iconográfico; leituras de textos escolhidos; Ampla consulta a material audiovisual sobre curadorias e exposições.

Aula Expositiva
em Videoconferência

Nossas aulas online/ao vivo são conduzidas por videoconferências interativas, promovendo um aprendizado dinâmico e envolvente, permitindo interação com nosso corpo docente e colegas.

recursos
Necessários

Para nossos cursos, é essencial possuir uma conexão de internet estável e um computador ou celular com câmera para participar das aulas e discussões. Certifique-se de atender a esses requisitos para aproveitar ao máximo a experiência de aprendizado.
  • Ministrado por:

    Rosemeri Conceição

    Doutoranda da Linha de Pesquisa Imagem e Cultura no Programa de Pós Graduação em Artes Visuais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGAV-UFRJ). Mestre em História Social pela Universidade de São Paulo e Graduada em História pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Em 2022 foi pesquisadora premiada pelo Afro-Latin American Research Institute (ALARI) da Universidade de Harvard. Tem inúmeras participações em congressos nacionais e internacionais e publicações sobre a Arte Contemporânea. Em 2022 foi curadora residente da Escola de Artes Visuais do Parque Lage. É pesquisadora do MASP Pesquisa onde discute a estética de Cândido Portinari. integra o grupo de curadores da Residência Territórios Curatoriais do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM Rio).

Secretaria

Todos os cursos online e presenciais emitem certificados. Anualmente será cobrada uma taxa administrativa válida para todos os cursos.Cancelamentos de cursos devem ser informados até o último dia útil do mês anterior.

Referências

BANIWA, Denilson. A arte construiu a história do mundo. Arte e cultura. Universidade Federal de Minas Gerais. Live transmitida em 17 de se-tembro de 2020a. Disponível em
CHAGAS, Mário. Há uma gota de sangue em cada museu: a ótica museológica de Mário de Andrade. Cadernos de Sociomuseologia. v. 13 n. 13 (1999).
CHUVA, Márcia (2020). Patrimônio Cultural em perspectiva decolonial: historiando concepções e práticas. In Alice Duarte (ed.), Seminários DEP/FLUP v.1. Porto: Universidade do Porto, Faculdade de Letras/DCTP, p. 165. https://doi.org/10.21747/9789898969682/seminariosv1a1  
CONCEIÇÃO, Rosemeri. Fazendo a história do século XXI — a trajetória do Centro de Memória. Anais do 1 Encontro Nacional da Rede de Educadores em Museus e Centros Culturais do Estado do Rio de Janeiro — Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2010 pp. 339-342. Disponível em: https://www.gov.br/casaruibarbosa/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/pdfs/encontro-nacional-da-rem-ocr.pdf
https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/rfi/2020/09/30/quem-roubou-quem-franca-quer-multar-ativistas-que-tentaram-confiscar-peca-africana-de-museu-em-paris.htm
GÓMEZ, Moreno, Pedro Pablo; MIGNOLO, Walter (Orgs). Estéticas decoloniales. Bogotá: Universidad Distrital Francisco José de Caldas, 2012, p. 8. Disponível em . Acesso em 10 abr. 2021
GONÇALVES, Lisbeth Rebollo. Entre Cenografias – O Museu e a Exposição de Arte no Século XX. São Paulo: Edusp, Fapesp, 2004.
Museus brasileiros recriam propostas curatoriais. https://revistapesquisa.fapesp.br/revista/ver-edicao-editorias/?e_id=462
POLLAK, Michael. Memória, Esquecimento, Silêncio. Estudos Históricos, Rio de. Janeiro, vol. 2, n. 3, 1989, p. 3-15.
Santos Menezes, P., & Pinol Álvarez, E. (2019). A descolonização dos Museus e a restituição das obras de arte africanas: o debate atual na França. CSOnline - REVISTA ELETRÔNICA DE CIÊNCIAS SOCIAIS, (29), 23.
 
VERGÈS, Françoise. Descolonizar o museu – Programa de desordem absoluta. São Paulo: Ubu, 2023.

TRANSFERIR CONHECIMENTO. NOSSA MISSÃO.

CURSOS RELACIONADOS

Filtros

Encontre o curso desejado usando o filtro abaixo, ou continue navegando para visualizar todos.

[frontend][label_floater_lpd_accept]Gerenciar cookiesRejeitarAceitar